Mostrando pesquisa para: Todas as localidades

Tagrisso 40mg, caixa com 30 comprimidos revestidos

Início Medicamentos Pulmão Mesilato De Osimertinibe Tagrisso 40mg, caixa com 30 comprimidos revestidos

De R$ 30.375,00 até R$ 41.647,50

Tagrisso contém a substância ativa osimertinibe que pertence à classe de medicamentos contra o câncer chamados inibidores de tirosina quinase. Tagrisso é indicado para o tratamento de pacientes adultos com um tipo de câncer de pulmão chamado câncer...

Leia mais...
Fabricante: Astrazeneca
Princípio Ativo: Mesilato De Osimertinibe
Necessita de Receita: Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
30375.00
Logo da empresa
R$ 30.375,00

Entregamos na sua região com melhor preço , prazo e de forma simples . Clique abaixo e fale conosco!

34065.91
Logo da empresa
R$ 34.065,91

Entregamos na sua região com melhor preço , prazo e de forma simples . Clique abaixo e fale conosco!

41647.50
Logo da empresa
R$ 41.647,50

Entregamos na sua região com melhor preço , prazo e de forma simples . Clique abaixo e fale conosco!

30850.00
Logo da empresa
R$ 30.850,00

Já atendemos mais 2800 Demandas Judiciais - Preço Prazo e Confiança é Conosco - Garantimos a entrega da sua demanda judicial ou seu dinheiro de volta

Tagrisso contém a substância ativa osimertinibe que pertence à classe de medicamentos contra o câncer chamados inibidores de tirosina quinase.

Tagrisso é indicado para o tratamento de pacientes adultos com um tipo de câncer de pulmão chamado câncer de pulmão de não pequenas células (CPNPC) quando:

  • O paciente teve resultado positivo para o teste de mutações de deleção do éxon 19 ou substituição do éxon 21 (L858R) do EGFRs (Receptores do Fator de Crescimento Epidérmico) para o tratamento inicial do câncer;
  • O paciente teve resultado positivo para o teste de mutação T790M e o câncer progrediu durante o uso de, ou após terapia prévia com outros medicamentos inibidores de tirosina quinase dos Receptores do Fator de Crescimento Epidérmico (EGFRs).

Como o Tagrisso funciona?


Tagrisso funciona bloqueando o EGFR e pode ajudar a retardar ou parar o crescimento do câncer de pulmão. Ele também pode ajudar a reduzir o tumor.

Tagrisso será somente prescrito por um médico experiente no uso de medicamentos contra o câncer. Se você tiver qualquer dúvida sobre como Tagrisso funciona ou porquê este medicamento foi prescrito, pergunte ao seu médico.

Você não deve tomar Tagrisso se tiver alergia (hipersensibilidade) ao osimertinibe ou a qualquer outro excipiente contido na fórmula do medicamento.

Você não deve tomar Tagrisso se estiver tomando Erva de São João (Hypericum perforatum).

Tagrisso pode ser tomado com ou sem alimentos, no mesmo horário todos os dias.

Este medicamento destina-se ao uso oral.

Os comprimidos devem ser engolidos inteiros com água.

Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

Se o paciente não for capaz de engolir o comprimido, ele deve primeiro ser dissolvido em 50 mL de água sem gás.

O comprimido deve ser colocado na água, sem esmagar, agitado até a dispersão e imediatamente ingerido.

Um volume adicional de meio copo de água deve ser adicionado para garantir que nenhum resíduo permaneça no recipiente e então ingerido imediatamente.

Caso seja necessária administração por sonda nasogástrica, o mesmo processo descrito acima deve ser seguido, mas com a utilização de volumes de 15 mL para a dispersão inicial e de 15 mL para a limpeza dos resíduos.

O volume resultante de 30 mL de líquido deve ser administrado de acordo com as instruções do fabricante da sonda naso-gástrica com enxágues apropriados com água.

A dispersão e os resíduos devem ser administrados dentro de 30 minutos da adição dos comprimidos na água.

O tratamento com o Tagrisso deve ser iniciado por um médico experiente no uso de terapias contra o câncer.

Ao se considerar o uso do Tagrisso, o status da mutação EGFR deve ser determinado em uma amostra do tumor ou de plasma, utilizando um teste validado para:

  • Mutações de deleção do éxon 19 ou substituição do éxon 21 (L858R) (para tratamento de primeira linha);
  • Mutação T790M (quando o câncer progrediu durante o uso de, ou após terapia prévia com medicamentos inibidores de tirosina quinase dos EGFRs).

Posologia do Tagrisso


A dose recomendada de Tagrisso é de 80 mg, uma vez ao dia, até progressão da doença ou toxicidade inaceitável.

Dose esquecida:

Se você se esquecer de tomar uma dose de Tagrisso, tome a dose esquecida assim que se lembrar.

Porém, se faltar menos de 12 horas para a próxima dose, você não deve tomar a dose esquecida, devendo esperar o horário da próxima dose. Tome a próxima dose no horário habitual.

Ajuste de dose:

A interrupção da dose e/ou a redução da dose podem ser necessárias com base na segurança e tolerabilidade individuais. Se for necessária a redução da dose, então a dose de Tagrisso deve ser reduzida para 40 mg, uma vez ao dia. As orientações para redução da dose devido à toxicidade das reações adversas são fornecidas na Tabela 1.

Tabela 1. Recomendações de ajuste de dose para Tagrisso

Órgão AlvoReação AdversaaModificação na Dose
PulmonarDPI/PneumoniteTagrisso deve ser permanentemente descontinuado.
CardíacoIntervalo QTc maior do que 500 mseg em pelo menos 2 ECGs separadosTagrisso deve ser suspenso até que o intervalo QTc seja inferior a 481 mseg ou recuperado para o basal se o QTc basal for maior ou igual a 481 mseg, e então, reiniciado em uma dose reduzida (40 mg).
Prolongamento do intervalo QTc com sinais/sintomas de arritmia graveTagrisso deve ser permanentemente descontinuado.
OutroReação adversa de Grau 3 ou superiorTagrisso deve ser suspenso por até 3 semanas
Se a reação adversa de Grau 3 ou superior melhorar para Grau 0-2 após a suspensão de Tagrisso por até 3 semanasTagrisso pode ser reiniciado na mesma dose (80 mg) ou em uma dose menor (40 mg)
Reação adversa de Grau 3 ou superior que não melhora para Grau 0-2 após a suspensão por até 3 semanasTagrisso deve ser permanentemente descontinuado.

aNota: A intensidade dos eventos adversos clínicos é classificada de acordo com a Terminologia Comum para Eventos Adversos (CTCAE) do Instituto Nacional do Câncer (NCI) versão 4.0.

Populações especiais de pacientes:

Nenhum ajuste de dose é necessário devido à idade do paciente, peso corporal, sexo, etnia e condição do tabagismo.

Pacientes pediátricos e adolescentes:

A segurança e a eficácia de Tagrisso em crianças ou adolescentes com idade inferior a 18 anos não foram estabelecidas. Não existem dados disponíveis.

Idosos (>65 anos):

Tagrisso pode ser usado em adultos independentemente da idade.

Disfunção hepática:

Nenhum ajuste de dose é recomendado em pacientes com disfunção hepática leve (bilirrubina total ≤ LSN e AST > LSN ou bilirrubina total entre 1,0 a 1,5 x LSN e qualquer valor de AST) ou disfunção hepática moderada (bilirrubina total entre 1,5 a 3,0 x LSN e qualquer valor de AST). A dose apropriada de Tagrisso não foi estabelecida em pacientes com disfunção hepática grave.

Disfunção renal:

Nenhum ajuste de dose é recomendado em pacientes com disfunção renal leve, moderada ou grave. A segurança e eficácia de Tagrisso não foi estabelecida em pacientes com doença renal em estágio terminal (depuração de creatinina (ClCr) menor que 15 mL/min, calculado pela equação de Cockcroft e Gault) ou em diálise. Cuidados devem ser tomados quando pacientes com disfunção renal em estágio terminal são tratados.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o Tagrisso?


Se você esquecer de tomar uma dose de Tagrisso, você só poderá tomar a dose esquecida se faltar mais de 12 horas para a próxima dose.

Se faltar menos de 12 horas para a próxima dose, você não deve tomar a dose esquecida, devendo esperar o horário da próxima dose.

Não tome uma dose em dobro (dois comprimidos ao mesmo tempo) para compensar uma dose esquecida.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista. 

Avaliação do status da mutação EGFR:

Ao se considerar o uso de Tagrisso como tratamento para o câncer de pulmão localmente avançado ou metastático, é importante que o status positivo da mutação EGFR seja determinado. O médico irá solicitar a realização de um teste para determinar este status, que utilizará o DNA do tecido tumoral ou o DNA tumoral circulante (ctDNA), obtido de uma amostra de sangue (plasma).

Somente teste(s) robusto(s), confiável(eis) e sensível(eis) com utilidade demonstrada para a determinação do status de mutação do EGFR deve(m) ser utilizado(s).

A determinação positiva do status da mutação EGFR (mutações de deleções do éxon 19 ou de substituição do éxon 21 (L858R) para tratamento de primeira linha ou mutações T790M na progressão quando em uso de, ou após a terapia com inibidores da tirosina quinase dos EGFRs), utilizando tanto o teste com base no tecido como no plasma indica elegibilidade para o tratamento com Tagrisso. No entanto, se o teste no plasma (ctDNA) for utilizado e o resultado for negativo, recomenda-se que seja repetido o teste com o tecido sempre que possível, devido à possibilidade de resultados falso-negativos do teste com base no plasma.

Doença Pulmonar Intersticial (DPI):

O médico deve ser avisado caso você apresente início repentino e/ou piora não explicada de sintomas respiratórios que possam ser indicativos de doença pulmonar intersticial (DPI), como por exemplo, dispneia, tosse e febre. O tratamento com Tagrisso deve ser suspenso e a DPI investigada imediatamente.

Tagrisso deve ser permanentemente descontinuado caso a DPI seja confirmada.

Prolongamento do Intervalo QTc:

Quando possível, o uso de Tagrisso deve ser evitado se você tiver síndrome de QT longo congênita, uma doença cardíaca. Seu médico deve considerar o monitoramento periódico com eletrocardiogramas (ECGs) e eletrólitos se você tiver insuficiência cardíaca congestiva, distúrbios eletrolíticos, ou estiver em uso de medicamentos que são conhecidos por prolongar o QTc.

O uso de Tagrisso deve ser suspenso se você desenvolver um intervalo QTc maior do que 500 mseg em pelo menos dois ECGs separados, até que o intervalo QTc seja menor do que 481 mseg ou recuperado até o basal se o intervalo QTc for maior ou igual a 481 mseg, e então, o uso de Tagrisso pode ser reiniciado em uma dose reduzida.

Tagrisso deve ser permanentemente descontinuado se você desenvolver prolongamento do intervalo QTc em combinação com qualquer um dos seguintes sintomas: Torsade de Pointes, taquicardia ventricular polimórfica, sinais/sintomas de arritmia grave.

Alterações na contratilidade cardíaca:

Se você apresentar fatores de risco cardíaco e condições que possam afetar a Fração de Ejeção do Ventrículo

Esquerdo (FEVE), seu médico deverá considerar a realização de monitoramento cardíaco, incluindo uma avaliação da FEVE no início e durante o tratamento. Se você desenvolver sinais ou sintomas cardíacos relevantes durante o tratamento, seu médico também deverá considerar a realização de monitoramento cardíaco, incluindo avaliação da FEVE.

Ceratite:

O médico deve ser avisado caso você tenha histórico de problemas no olho. Caso você apresente sinais e sintomas agudos sugestivos de ceratite, como inflamação ocular, lacrimejamento, sensibilidade à luz, visão turva, dor nos olhos e/ou olhos vermelhos, ou piora desses sinais, deve procurar imediatamente seu médico.

Este poderá encaminhá-lo a um oftalmologista.

As reações adversas descritas a seguir foram identificadas nos estudos clínicos com pacientes que receberam Tagrisso como tratamento para câncer de pulmão de não pequenas células:

Reação muito comum (ocorre em 10% ou mais dos pacientes que utilizam este medicamento):

Diarreia, inflamações na boca (estomatite), erupções na pele, pele seca, infecção do tecido ao redor das unhas (paroníquia), prurido (coceira), número de plaquetas e de células do sangue diminuído (leucócitos, linfócitos e neutrófilos).

Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Alterações nos pulmões (doença pulmonar intersticial).

Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Ceratite (alterações oculares, como sensibilidade à luz, dor no olho, dor nos olhos e/ou olhos vermelhos, visão turva) e prolongamento do intervalo QTc (alteração cardíaca).

Atenção: este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos.

Nesse caso, informe seu médico ou cirurgião-dentista.

Apresentações:

Comprimidos revestidos de 40 mg:

Em embalagens com 30 comprimidos.

Comprimidos revestidos de 80 mg:

Em embalagens com 30 comprimidos.

Via oral.

Uso adulto.

Composição:

Tagrisso 40 mg:

Cada comprimido revestido contém 47,7 mg de mesilato de osimertinibe*.

*Equivalente a 40 mg de osimertinibe.

Tagrisso 80 mg:

Cada comprimido revestido contém 95,4 mg de mesilato de osimertinibe*.

*Equivalente a 80 mg de osimertinibe.

Excipientes: manitol, celulose microcristalina, hipromelose, estearilfumarato de sódio, álcool polivinílico, dióxido de titânio, macrogol, talco, óxido de ferro amarelo, óxido de ferro vermelho, óxido de ferro preto e água purificada.

Em estudos clínicos, pacientes que foram tratados com Tagrisso em doses diárias de 160 mg e 240 mg, apresentaram um aumento na frequência e gravidade de algumas reações adversas como diarreia e erupção cutânea em comparação à dose de 80 mg.

Não há um tratamento específico em caso de superdosagem de Tagrisso. Os médicos devem seguir as medidas gerais de suporte e tratar de forma sintomática.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 08007226001, se você precisar de mais orientações.

Recomenda-se que o uso concomitante de indutores potentes da CYP3A, como por exemplo:

Fenitoína (utilizado no tratamento de convulsões), rifampicina (antibiótico), carbamazepina (utilizado no tratamento de epilepsia) com Tagrisso seja evitado.

Indutores CYP3A4 moderados, como por exemplo:

Bosentana (utilizado para tratar hipertensão arterial pulmonar), efavirenz e etravirina (utilizados para tratar AIDS), modafinil (utilizado para tratar narcolepsia) também podem reduzir a exposição ao osimertinibe e devem ser usados com cautela, ou evitados quando possível. Não há dados clínicos disponíveis para recomendar um ajuste de dose de Tagrisso. O uso concomitante com Erva de São João é contraindicado.

Pacientes que tomam medicações como a rosuvastatina, que tem disponibilização dependente da proteína de resistência ao câncer de mama (BCRP), e com índice terapêutico estreito, devem ser cuidadosamente acompanhados para sinais de mudança na tolerabilidade como resultado da maior exposição da medicação concomitante enquanto recebem Tagrisso.

Os agentes modificadores do pH gástrico, como o omeprazol, podem ser usados concomitantemente com Tagrisso sem restrições.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Tagrisso deve ser mantido em temperatura ambiente (15°C a 30°C).

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Aspectos físicos:

Tagrisso 40 mg:

É apresentado como um comprimido bege, redondo, biconvexo, gravado com “AZ” e “40” em um lado e sem gravação no lado oposto.

Tagrisso 80 mg:

É apresentado como um comprimido bege, oval, biconvexo, gravado com “AZ” e “80” em um lado e sem gravação no lado oposto.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

MS 116180254.

Farm. Resp.:
Dra. Gisele H. V. C. Teixeira.
CRF-SP nº 19.825.

Fabricado por:
AstraZeneca AB – Gärtunavägen – Södertälje – Suécia.

Importado por:
AstraZeneca do Brasil Ltda.
Rod. Raposo Tavares, km 26,9 – Cotia – SP – CEP 06707-000.
CNPJ 60.318.797/0001-00.

Venda sob prescrição médica.


Informações Profissionais
Fabricante: Astrazeneca
Necessita de Receita: Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
Princípio Ativo: Mesilato De Osimertinibe
Categoria do Medicamento: Pulmão
Classe Terapêutica: Inibidores De Proteina Quinase
Especialidades: Oncologia