Mostrando pesquisa para: Todas as localidades

Pasurta 70mg/mL, 1 Ser. 1mL – Subcutâneo

Início Medicamentos Dor Febre e Contusão Erenumabe Pasurta 70mg/mL, caixa com 1 seringa preenchida com 1mL de solução de uso subcutâneo

De R$ 2.741,00 até R$ 2.819,89

Pasurta® é um medicamento para tratamento profilático de pacientes com pelo menos 4 dias de enxaqueca (migrânea) por mês. Entendendo profilático como uma redução na frequência da enxaqueca e seu impacto. O uso de Pasurta® não foi estudado em crianças com menos de...

Leia mais...
Fabricante: Novartis
Tipo do Medicamento: Biológico
Princípio Ativo: Erenumabe
Necessita de Receita: Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
2819.89
Logo da empresa
R$ 2.819,89

Entregamos na sua região com melhor preço, prazo e de forma simples. Clique abaixo e fale conosco!

2741.00
Logo da empresa
R$ 2.741,00

Já atendemos mais de 4000 Demandas Judicias. Preço, Prazo e Confiança é Conosco! - Garantimos a entrega ou seu dinheiro de volta!

Pasurta® é um medicamento para tratamento profilático de pacientes com pelo menos 4 dias de enxaqueca (migrânea) por mês. Entendendo profilático como uma redução na frequência da enxaqueca e seu impacto.

O uso de Pasurta® não foi estudado em crianças com menos de 18 anos de idade. Não se sabe se Pasurta® é seguro e eficaz em crianças.

Como o Pasurta funciona?

Pasurta® funciona impedindo a atividade do CGRP (peptídeo relaciona ao gene da calcitonina), que está ligada à enxaqueca (migrânea), através do bloqueio de seu receptor.

Se você tiver qualquer dúvida sobre como o Pasurta® funciona ou por que este medicamento foi prescrito para você, pergunte ao seu médico, farmacêutico ou profissional de saúde.

Você não deve usar esse medicamento se apresenta hipersensibilidade à substância ativa ou qualquer componente da fórmula, ver “Qual a composição do Pasurta?”.

A dose usual de Pasurta® é de 70 mg uma vez por mês. Seu médico também pode decidir se você precisa de 140 mg uma vez por mês. Use Pasurta® exatamente como instruído pelo seu médico.

70mg/mL de solução injetável

Se o seu médico prescreveu a dose de 70 mg, você deve administrar uma injeção (subcutânea) no abdómen, coxa ou parte superior do braço.

Se o seu médico prescreveu a dose de 140 mg, você deve aplicar duas injeções de 70 mg (por via subcutânea), no abdômen, na coxa ou na parte superior do braço, uma logo após a outra para cada dose. Se você usar a mesma área de injeção, cada injeção deve ser aplicada em um local diferente.

Pasurta® vem em uma seringa. Seu médico prescreverá o tipo que for melhor para você. Cada seringa é para uma única injeção.

Seu médico ou enfermeiro explicará para você ou para seu cuidador a forma correta de preparar e aplicar. Não tente aplicar Pasurta® até seu médico ou enfermeiro tenha mostrado para você ou seu cuidador a forma correta.

Antes da injeção, deixar Pasurta® em repouso em temperatura ambiente por pelo menos 30 minutos. Isso tornará a injeção mais confortável.

Pasurta® é administrado como uma injeção sob a pele (subcutânea ou SC). Você ou seu cuidador pode aplicar a injeção no abdômen, na coxa ou na parte externa superior do braço (somente se uma outra pessoa estiver aplicando a injeção).

Não aplicar a injeção em uma área de pele que esteja sensível, com hematoma, vermelha ou dura. Além disso, não usar o mesmo local de uma injeção anterior.

Cada seringa contém 70 mg de Pasurta®. Se você precisa de duas injeções a segunda injeção deve ser aplicada imediatamente após a primeira. Certifique-se de que aplicou todo o conteúdo da seringa.

Pasurta® contém látex de borracha natural dentro da tampa da seringa. Pode causar respostas alérgicas em indivíduos que são sensíveis ao látex. Informe o profissional de saúde se você for alérgico ao látex.

Consulte as “Instruções de Uso” detalhadas desta bula para instruções sobre a forma correta de armazenar, preparar e aplicar as injeções de Pasurta® em casa.

Utilize sempre Pasurta® exatamente conforme recomendação do médico. Verifique com seu médico se você não tiver certeza. Não ultrapasse a dose recomendada prescrita pelo seu médico.

Por quanto tempo usar Pasurta®?

Continue usando Pasurta® uma vez ao mês pelo tempo que o médico indicar.

Se tiver dúvidas com relação a quanto tempo usar Pasurta®, converse com seu médico ou farmacêutico.

Se você parar de usar Pasurta®?

Não pare de usar Pasurta® sem antes conversar com seu médico. Seus sintomas podem voltar se você parar o tratamento.

Pergunte ao seu médico se tiver outras dúvidas sobre como usar Pasurta®.

Instrução de uso da solução para injeção de 70 mg/mL em uma seringa descartável preenchida

Importante: a agulha está na parte interna do protetor cinza.

Importante

Antes de usar uma seringa preenchida de Pasurta®, leia estas informações importantes:

  • Armazenando a seringa preenchida de Pasurta®.
  • Mantenha a seringa fora da visão e do alcance de crianças.
  • Mantenha a seringa na caixa original para protegê-la da luz ou de danos físicos.
  • A seringa deve ser mantida no refrigerador entre 2˚C e 8˚C.
  • Jogue fora Pasurta® que tiver sido deixado em temperatura ambiente por mais de 14 dias.
  • Não armazenar a seringa sob calor ou frio extremo. Por exemplo, evite deixá-la no carro.
  • Não congelar.

Utilizando a seringa preenchida de Pasurta®

  • Não tente aplicar Pasurta® antes de receber treinamento do médico ou enfermeiro.
  • Não utilize uma seringa após a data de validade contida no rótulo.
  • Não agitar a seringa.
  • Não remover o protetor cinza da agulha da seringa até que esteja pronto para aplicar.
  • Não congelar ou usar a seringa se esta tiver sido congelada.
  • Não usar uma seringa se esta tiver caído sobre uma superfície dura. Parte da seringa pode ter se quebrado mesmo que você não consiga visualizar a quebra. Utilize uma nova seringa e entre em contato com o profissional de saúde (médico, enfermeiro ou farmacêutico).
  • Este produto contém látex de borracha natural dentro do protetor cinza da agulha. O produto pode causar respostas alérgicas em indivíduos que são sensíveis ao látex. Informe o profissional de saúde se você for alérgico ao látex. Para mais informações ou ajuda, entre em contato com o profissional de saúde.

Etapa 1: Preparo

Leia isto antes de aplicar a injeção. Verifique sua prescrição médica.

  • O seu médico pode ter prescrito uma dose de 70 mg ou 140 mg.
  • Para uma dose de 70 mg, injete uma seringa de 70 mg/mL.
  • Para uma dose de 140 mg, injete duas seringas de 70 mg/mL, uma após a outra.
  • Para evitar desconforto no local da injeção, deixe as seringas em temperatura ambiente por pelo menos 30 minutos antes da aplicação.
  1. Retire a seringa preenchida do Pasurta® da embalagem. Segure o reservatório da seringa para retirar a seringa da bandeja.
    Coloque o dedo e o polegar na borda da bandeja para prendê-lo enquanto você remove a(s) seringa(s).

    Segure a(s) seringa(s) pelo reservatório (veja as setas).
  2. Inspecione a seringa preenchida de Pasurta®.
    Sempre segure a(s) seringa(s) pelo reservatório.
    Certifique-se de que o medicamento na seringa esteja claro e incolor a ligeiramente amarelo.
    Deixe a(s) seringa(s) em temperatura ambiente por pelo menos 30 minutos antes de aplicar.
    Não use a(s) seringa(s) se o medicamento estiver turvo ou com a coloração alterada ou contiver flocos ou partículas.
    Não use a(s) seringa(s) se qualquer parte parecer rachada ou quebrada.
    Não use a(s) seringa(s) se ela tiver caído.
    Não use a(s) seringa(s) se o protetor cinza da agulha estiver faltando ou não acoplado de forma segura.
    Não use a(s) seringa(s) se a data de validade impressa no rótulo tiver expirado.
    Em todos os casos, use uma nova seringa e, em caso de dúvidas, entre em contato com o profissional de saúde.
  3. Reúna todo o material necessário para as injeções.
    Lave completamente as mãos com água e sabão.
    Em uma superfície de trabalho limpa e organizada, coloque:
    Uma ou duas seringas (dependendo da sua dose prescrita)
    Lenços umedecidos em álcool.
    Chumaços de algodão ou gaze.
    Curativo adesivo.
    Recipiente para descarte de materiais perfurocortantes.
  4. Prepare e limpe o(s) local(is) de injeção.
    Apenas aplicar a injeção nestes locais:
    A coxa.
    Área do estômago (abdômen), exceto por uma área de cinco centímetros ao redor do umbigo.
    Parte externa do braço (somente se outra pessoa estiver aplicando a injeção).

    Limpe o local da injeção com um lenço umedecido em álcool. Deixe a pele secar.
    Não toque esta área novamente antes de aplicar a injeção.
    Se você quiser usar o mesmo local de injeção, não use o mesmo ponto no local da injeção usado em uma injeção anterior.
    Não aplique nas áreas onde a pele estiver sensível, com hematoma, vermelha ou dura. Evite aplicar diretamente em mancha de pele em relevo, espessa, vermelha ou com escamas ou em lesão cutânea, ou em áreas com cicatrizes ou estrias.

Etapa 2: Prepare-se

  1. Puxe a tampa protetora cinza da agulha em direção oposta ao seu corpo, somente quando estiver pronto para aplicar. Não deixe o protetor cinza da agulha destampado por mais de cinco minutos. Isso pode secar o medicamento.
    É normal observar uma gota de líquido no fim da agulha.
    Não torcer ou dobrar o protetor cinza da agulha.
    Não colocar o protetor cinza da agulha de volta na seringa.
    Não remover o protetor cinza da agulha da seringa até que esteja pronto para aplicar.
  2. Pinçar o local da injeção para criar uma superfície firme. Pinçar a pele firmemente entre o polegar e os dedos, criando uma área de cerca de cinco centímetros de largura.
    Importante: Mantenha a pele pinçada durante a aplicação.

Etapa 3: Aplicar

  1. Pinçando a pele, com o protetor cinza da agulha retirado, insira a agulha na pele a um ângulo de 45 a 90 graus.
    Não colocar o dedo na haste do êmbolo ao inserir a agulha.
  2. Usando pressão lenta e constante, empurre a haste do êmbolo totalmente para baixo até parar o movimento.
  3. Quando tiver terminado, solte o polegar e levante delicadamente a seringa da pele.
    Importante: Ao retirar a seringa, se parecer que a solução ainda está no reservatório da seringa, isso significa que você não recebeu uma dose completa. Ligue imediatamente para o profissional de saúde.
  4. Descarte a seringa usada e o protetor cinza da agulha.
    Coloque a seringa de Pasurta® usada em um recipiente para descarte de material perfurocortante logo após o uso. Não jogue (descarte) a seringa no lixo doméstico.
    Converse com o profissional de saúde sobre o descarte correto. Podem existir regulamentações locais para descarte.
    Não reutilizar a seringa.
    Não reciclar a seringa ou o recipiente para descarte de material perfurocortante nem jogá-los no lixo doméstico.
    Importante: Mantenha sempre o recipiente para descarte de material perfurocortante longe da visão e do alcance de crianças.
  5. Examine o local da injeção.
    Se houver sangue, pressione um chumaço de algodão ou gaze no local da injeção. Não esfregue o local da injeção.
    Coloque um curativo adesivo, se necessário.

Se lhe foi prescrito a dose de 140 mg com duas seringas de 70 mg/mL repita todas as etapas com a segunda seringa para aplicar a dose completa.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O que devo fazer quando me esquecer de usar o Pasurta?

Se você se esquecer de injetar a dose de Pasurta®, injete assim que puder após a dose omitida. Em seguida, entre em contato com seu médico que informará quando você deve programar as próximas doses, e siga esse cronograma exatamente como o médico orientou.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Siga cuidadosamente todas as orientações do médico. Elas podem ser diferentes das informações gerais contidas nesta bula.

Não use Pasurta®

Se você teve uma reação alérgica grave ao erenumabe ou a qualquer outro componente de Pasurta®. Ver Consulte a “Qual a composição do Pasurta?” para saber os componentes da fórmula de Pasurta®.

Se isso se aplica a você, informe seu médico ou farmacêutico ou profissional de saúde antes de usar ou receber Pasurta®:

Se você tiver apresentado uma reação alérgica ao Pasurta® ou a qualquer um de seus ingredientes. Verifique a composição de Pasurta® para conhecer todos os ingredientes. Pergunte ao seu médico se você não tiver certeza.

Informe o seu médico ou obtenha ajuda médica de emergência imediatamente:

Se você tiver algum sintoma de reação alérgica grave, como erupção cutânea ou inchaço geralmente na face, boca, língua ou garganta; ou dificuldade para respirar. Reações alérgicas graves podem ocorrer em minutos, mas algumas podem ocorrer mais de uma semana após o uso do Pasurta®.

Crianças e adolescentes (com menos de 18 anos)

O uso de Pasurta® não foi estudado em crianças com menos de 18 anos de idade.

Idosos (65 anos ou mais)

Você pode usar Pasurta® se tiver 65 anos ou mais na mesma dose utilizada por outros adultos.

Gravidez e lactação

Pasurta® não foi estudado em mulheres grávidas. Não se sabe se Pasurta® prejudicará seu bebê que ainda não nasceu. Converse com seu médico se estiver tentando engravidar ou acha que está grávida antes de usar Pasurta®. Seu médico discutirá com você os possíveis riscos de utilizar Pasurta® durante a gravidez.

Não se sabe se Pasurta® passa para o leite materno. É importante informar seu médico se você estiver amamentando ou planejando amamentar. Seu médico a ajudará a decidir se deve parar de amamentar, ou parar de utilizar Pasurta®.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Efeitos sobre a habilidade de dirigir veículos e/ou operar máquinas

É improvável que Pasurta® afete sua capacidade de dirigir e usar máquinas.

Assim como todos os medicamentos, os pacientes tratados com Pasurta® podem apresentar efeitos colaterais, embora nem todos os tenham.

Os possíveis efeitos colaterais incluem os seguintes listados a seguir. A maioria dos efeitos colaterais são de leves a moderados. Se esses efeitos colaterais se tornarem graves, informe seu médico ou farmacêutico.

Comuns: podem afetar até 1 em cada 10 pessoas.

  • Sinais e sintomas de dor, vermelhidão, inchaço no local da injeção (reações no local da injeção);
  • Constipação;
  • Espasmos musculares;
  • Coceira.

Desconhecida: a frequência não pode ser estimada a partir dos dados disponíveis

  • Reações alérgicas, como erupção cutânea, inchaço ou, às vezes, dificuldade em respirar.

Atenção: este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico ou cirurgião-dentista.

Cada seringa preenchida de Pasurta® contém:

70 mg de erenumabe em 1 mL de solução injetável.

Excipientes: sacarose, ácido acético glacial, polissorbato 80, água para injetáveis, hidróxido de sódio.

Se você injetar mais Pasurta® do que deveria, entre em contato com seu médico ou farmacêutico.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 08007226001, se você precisar de mais orientações.

Outros medicamentos (interações com outros produtos medicinais incluindo vacinas ou agentes biológicos)

Antes de usar Pasurta®, informe seu médico ou farmacêutico ou profissional de saúde se estiver tomando qualquer outro medicamento, inclusive medicamentos obtidos sem receita, pois eles podem interagir com o Pasurta®.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use este medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Resultados de Eficácia

Erenumabe foi avaliado para profilaxia de migrânea em 2 estudos pivotais em todo o espectro de migrânea episódica e crônica. Os estudos incluíram pacientes com histórico de migrânea, com ou sem aura de acordo com os critérios de diagnóstico da Classificação Internacional de Distúrbios da Cefaleia (ICHD-III)1.

O tratamento com Erenumabe demonstrou melhorias estatisticamente significativas e clinicamente importantes a partir da linha de base em comparação com o placebo para os principais resultados de eficácia2.

Migrânea crônica

Estudo 1 (Estudo20120295)

Erenumabe foi avaliado para profilaxia de migrânea crônica em um estudo duplo-cego, randomizado, multicêntrico, placebo-controlado de 12 semanas. Um total de 667 pacientes com histórico de migrânea com ou sem aura (≥ 15 dias de dor de cabeça por mês com ≥ 8 dias de migrânea por mês) foram randomizados para receber injeções subcutâneas de placebo (n = 286), Erenumabe 70mg (n=191) ou Erenumabe 140 mg (n = 190) mensalmente por 12 semanas. A randomização foi estratificada por região (América do Norte vs. outra) e a presença de uso excessivo de medicação aguda (presente em 41% do total de pacientes), excluindo pacientes com uso excessivo de opioides3. A frequência média de migrânea na linha de base foi de aproximadamente 18 dias de migrânea por mês e foi semelhante em todos os grupos de tratamento. Os pacientes foram autorizados a usar tratamentos para dor de cabeça aguda, incluindo triptanos, derivados de ergotamina e AINEs durante o estudo4.

Os pacientes tinham uma idade mediana de 43 anos (faixa, 18 a 66 anos), 83% eram do sexo feminino e 94% eram brancos. Os pacientes poderiam ter falhado (ou seja, sem resposta terapêutica) até 3 categorias de tratamento profilático anterior devido à falta de eficácia, enquanto não havia limite para o número de falhas anteriores para tolerabilidade insatisfatória. No geral, na população estudada, 68% falharam em 1 ou mais tratamentos profiláticos prévios por falta de eficácia ou tolerabilidade insatisfatória e 49% falharam em 2 ou mais tratamentos profiláticos prévios por falta de eficácia ou tolerabilidade insatisfatória. Além de excluir pacientes com uso excessivo de opioides, o estudo excluiu os pacientes com uso concomitante de tratamentos profiláticos de migrânea. No total, 182 (96%) pacientes no braço de Erenumabe 140mg, 184 (96%) pacientes no braço Erenumabe 70 mg e 265 (93%) pacientes no braço de placebo concluíram o estudo (avaliação completa da semana 12). Dos 23 (3,4%) pacientes que descontinuaram o tratamento, 2 pacientes no grupo tratado com Erenumabe 140 mg, nenhum paciente no grupo tratado com Erenumabe 70 mg e 2 pacientes no grupo de placebo descontinuaram devido a eventos adversos5.

A medida de resultado primária foi a alteração da linha de base no mês 3 nos dias de migrânea mensais. As medidas de resultado secundárias incluíram a redução de 50 a 100% nos dias de migrânea por mês a partir da linha de base (≥ 50% de respondedores), alteração em relação à linha de base nos dias de medicação específica para migrânea aguda mensal e alteração em relação à linha de base nas horas cumulativas de dores de cabeça por mês. Além das horas cumulativas de dores de cabeça por mês, o tratamento com Erenumabe demonstrou melhorias estatisticamente significativas e clinicamente importantes em relação à linha de base no mês 3 em comparação com o placebo para resultados de eficácia como resumido na Figura 1 e na Tabela 1. Foi observada redução nos dias de migrânea mensais médios do placebo em uma análise mensal a partir do mês 1 e em uma análise semanal de acompanhamento, um início de efeito de Erenumabe foi observado na primeira semana de administração6.

Figura 1: Alteração da linha de base em dias de migrânea mensal no Estudo 1ª

a Médias de quadrados mínimos e intervalos de confiança de 95% são apresentados.

O valor de p para a diferença em médias de quadrados mínimos entre Erenumabe e placebo avaliado no mês 3 (medida de resultado primário) foi < 0,001 para ambos as doses de Erenumabe.

Tabela 1 – Resultados de eficácia no Estudo 1 no mês 37

Erenumabe 70 mg (n = 188) Erenumabe 140 mg (n = 187) Placebo (n = 281) Diferença de Tratamento / Razão de Valor de pa
Resultados de eficácia
Dias de migrânea por mês (DMM)
Alteração médiab IC de 95% -6,64
(-7,47, -5,81)
-6,63
(-7,45, -5,80)
-4,18
(-4,86, -3,50)
70 mg: -2,46 (-3,52, -1,39)
140 mg: -2,45 (-3,51, -1,38)
Ambos < 0,001
50% de respondedores de DMM
% 39,9 41,2 23,5
Razão de probabilidadec IC de 95% 70 mg: 2,18 (1,46, 3,27)
140 mg: 2,34 (1,56, 3,51)
Ambos < 0,001
≥ 75% de respondedores de DMMd
% 17,0 20,9 7,8 n/a
Razão de probabilidades 70 mg: 2,43 (1,36,4,33)
140 mg: 3,13 (1,78, 5,48)
IC de 95%
Dias de medicação específica para migrânea aguda por mêse
Alteração médiab IC de 95% -3,45
(-4,02, -2,87)
-4,13
(-4,70, -3,56)
-1,58
(-2,05, -1,11)
70 mg: -1,86 (–2,60, -1,13)
140 mg: -2,55 (-3,28, -1,82)
Ambos < 0,001
Horas cumulativas de dores de cabeça
Alteração médiab IC de 95% -64,67
(-78,34, – 51,17)
-74,53
(-88,05, – 61,01)
-55,22
(-66,38, – 44,06)
70 mg: -9,54 (-26,98,7,90)
140 mg: -19,31 (-36,71, -1,92)
ns
HIT-6
Alteração médiaf IC de 95% -5,6
(-6,5, -4,6)
-5,6
(-6,5, -4,6)
-3,1
(-3.9, -2,3)
70 mg: -2,5 (-3,7, -1,2)
140 mg: -2,5 (-3,7, –
n / a
MIDAS total
Alteração média95% IC -19,41
(-25,19, – 13,62)
-19,76
(-25,56, – 13,97)
-7,54
(-12,40, – 2,69)
70 mg: -11,86 (-19,34, -4,39)
140 mg: -12,22 (-19,64, -4,75)
n / a

IC = intervalo de confiança; DMM = dias de migrâneas por mês; ns = não significativo.
a. Todos os valores de p são relatados como valores de p não ajustados e são estatisticamente significativos após o ajuste para comparações múltiplas.
b. A alteração média de LS a partir da linha de base no mês 3, diferença de tratamento e valor de p são baseados em um modelo linear de efeitos mistos, incluindo grupo de tratamento, valor mensal de linha de base, fatores de estratificação (região [América do Norte vs. Europa] e uso excessivo de medicação [presença versus ausência]), a visita programada e a interação do grupo de tratamento com a visita programada, sem qualquer imputação de dadosfaltantes.
c. A razão de probabilidades e o valor de p para ≥ 50% de respondedores no mês 3 são baseados em um teste Cochran-MantelHaenszel estratificado, após dados ausentes serem considerados como não resposta.
d. Análise post-hoc; nenhum teste de hipótese foi realizado.
e. As medicações específicas para migrânea incluem triptanos e derivados de ergotamina.
f. Redução e alteração a partir da linha de base foram avaliadas nas últimas 4 semanas da fase de tratamento de 12 semanas de duplo cego.

Com base em uma análise pré-especificada, Erenumabe 70 mg e 140 mg foi eficaz em pacientes que haviam sido tratados anteriormente com profilaxia de migrânea. A Tabela 2 fornece resultados do subgrupo do Estudo 1 com base em falhas profiláticas prévias devido à falta de eficácia ou intolerância, em uma análise pré-especificada8.

Tabela 2 – Resultados de eficácia no Estudo 1 no mês 3 em subgrupos com base em falha profilática prévia

Erenumabe 70 mg (pacientes – nenhuma falha / falha em ≥1 medicação / falha em ≥2 medicações, n = 64/124/90) Erenumabe 140 mg (pacientes – nenhuma falha / falha em ≥1 medicação / falha em ≥2 medicamentos, n Placebo (pacientes – nenhuma falha / falha em ≥1 medicação / falha em ≥2 medicamentos, n = 84/197/141) Diferença de Tratamento/ Razão de Probabilidades (95% IC)
DT
Dias de migrâneas por mês (DMM)a – Mudança Médiab (IC de 95%)
Nenhuma falha -7,86
(-9,33, -6,39)
-6,14
(-7,61, -4,66)
-5,67
(-6,98, – 4,36)
70 mg: -2,19 (-4,10, -0,28)
140 mg: -0.47 (-2.39, 1,46)
Falha em ≥ 1 medicação -5,98
(-6,99, -4,97)
-6,84
(-7,84, -5,85)
-3.51
(-4.33, – 2.70)
70 mg: -2.47 (-3.76, -1.18)
140 mg: -3.33 (-4.61, -2.06)
Falha em ≥ 2 medicações -5,38
(-6,56, -4,20)
-6,96
(-8,10, -5,82)
-2.68
(-3.63, – 1.72)
70 mg: -2.71 (-4.20, -1.21)
140 mg: -4,28 (-5,75, -2,80)
50% dos respondedores de DMMc – %
Nenhuma falha 50% 41,9 % 38,1 % 70 mg: 1,75 (0,89, 3,43)
140 mg: 1,33 (0,67, 2,66)
Falha em ≥ 1 medicação 34,7% 40,8 % 17,3 % 70 mg: 2,64 (1,56, 4,48)
140 mg: 3,30 (1,98, 5,51)
Falha em ≥ 2 medicações 35,6% 41,3 % 14,2 % 70 mg: 3,46 (1,81, 6,61)
140 mg: 4,18 (2.21, 7,91)
Dias de medicação específica para migrâneas agudas por mêsc – Mudança Médiab (95% IC)
Nenhuma falha -2,48
(-3,31, -1,64)
-2,48
(-3,31, -1,64)
-1,78
(-2,52, – 1,05)
70 mg: -0,69 (-1,77, 0,38)
140 mg: -0,69 (-1,78, 0,39)
Falha em ≥ 1 medicação -3.83
(-4.58, -3.08)
-4.90
(-5.64, -4.16)
-1.47
(-2.07, – 0.87)
70 mg: -2.36 (-3.31, -1.41)
140 mg: -3.43 (-4.37, -2.49)
Falha em ≥ 2 medicações -4,05
(-4,96, -3,15)
-5,39
(-6,27, -4,51)
-1,26
(-2,00, – 0,53)
70 mg: -2,79 (-3,94, -1,65)
140 mg: -4,13 (-5,26, -3,00)

IC = intervalo de confiança; DMM = dias de migrâneas por mês; DT = diferença de tratamento; RP = Razão de Probabilidade.
a. DMM no início do estudo foi de aproximadamente 18 dias de migrânea por mês e semelhante nos subgrupos acima.
b. A alteração média de LS a partir da linha de base no mês 3 e a diferença de tratamento são baseadas em um modelo linear de efeitos mistos, incluindo o grupo de tratamento, o valor de linha de base mensal, os fatores de estratificação (região [América do Norte vs. outros e uso excessivo de medicação [presença versus ausência]), visita programada e a interação do grupo de tratamento com a visita programada, sem qualquer imputação por dados faltantes.
c. Respondedores são definidos como pacientes que alcançam redução de ≥ 50% no DMM.
d. Razão de probabilidades para ≥ 50% respondedores no mês 3 é baseada em um teste estratificado de Cochran-Mantel-Haenszel após a imputação de dados faltantes como não resposta.
e. Os medicamentos específicos para migrânea incluem triptanos e derivados de ergotamina.

Em pacientes com uso excessivo de medicação (41% da população total no Estudo 1), a eficácia foi observada com 70 mg e 140 mg de Erenumabe comparado ao placebo para os dias de migrâneas mensais (LSM (IC de 95%) 70 mg: -3,10 (- 4,83, -1,37) 140 mg: -3,10 dias (-4,81, -1,39), 50% dos respondedores: 34,6% para 140 mg, 36,4% para 70 mg versus 17,7% para placebo) com razão de probabilidades (IC de 95%) 70 mg: 2,67 (1,36, 5,22) 140 mg: 2,51 (1,28, 4,94) e em dias de medicação específica para migrânea aguda (LSM (IC de 95%) 70 mg: -3,33 (-4,72,-1,94); 140 mg: -2,79 (-4,16, -1,42).

A melhora na capacidade funcional foi avaliada pelo Teste de Impacto de Cefaleia (HIT-6) e os questionários de Avaliação de Incapacidade por Migrânea (MIDAS). A alteração média da linha de base até o mês 3 em comparação com o placebo para as medidas de resultados relatados pelo paciente encontra-se resumida na Tabela 1. A diferença minimamente importante (DMI) estabelecida entre os grupos para a redução no índice total de HIT-6 é de 2,3.

A eficácia foi mantida durante até 1 ano na extensão aberta do Estudo 1, em que os pacientes receberam 70 mg e/ou 140 mg de Erenumabe. 74,1% dos pacientes completaram a extensão de 52 semanas. Agrupados através das duas doses, uma redução de 9,3 DMM foi observada após 52 semanas em relação à linha de base do estudo principal. 59% dos pacientes que completaram o estudo obtiveram uma resposta de 50% no último mês do estudo.9

Migrânea episódica

Estudo 2 (Estudo20120296, STRIVE)

O estudo 2 foi um estudo duplo-cego, randomizado, multicêntrico, placebo-controlado, de 24 semanas que avaliou Erenumabe para profilaxia de migrânea episódica. Um total de 955 pacientes com histórico de migrânea com ou sem aura por uma duração de ≥ 12 meses e 4-14 dias de migrânea por mês foram randomizados para receber Erenumabe 70 mg (n=317), Erenumabe 140 mg (n = 319) ou placebo (n = 319) por injeção subcutânea mensalmente por 6 meses. A randomização foi estratificada por uso de medicamentos profiláticos (concomitante, uso anterior ou sem uso prévio) e região (América do Norte versus outra). A frequência média de migrânea na linha de base foi de aproximadamente 8 dias de migrânea por mês e foi semelhante em todos os grupos de tratamento. Os pacientes foram autorizados a usar tratamentos de dor de cabeça aguda, incluindo triptanos, derivados de ergotamina e AINEs durante o estudo10.

Os pacientes tinham uma idade mediana de 42 anos (faixa, 18 a 65 anos), 85% eram do sexo feminino e 89% eram brancos. Os pacientes poderiam ter apresentado falha de resposta para até 2 tratamentos profiláticos anteriores. O estudo excluiu os pacientes com uso excessivo de medicações. No total, 865 (90,6%) pacientes completaram a fase duplo-cego, incluindo 287 (90,5%) no grupo de 70 mg, 294 (92,2%) no grupo de 140 mg, 284 (89,0%) o no grupo placebo. Dos 87 pacientes (9,1%) que descontinuaram o tratamento, 7 pacientes do grupo tratado com Erenumabe 70mg, 6 pacientes do grupo tratado com Erenumabe 140 mg e 7 pacientes no grupo de placebo descontinuaram devido a eventos adversos11.

A medida de resultado primária foi a alteração em relação à linha de base durante os meses 4-6 nos dias de migrânea mensais. As medidas de resultado secundárias incluíram a obtenção de uma redução de 50-100% nos dias de migrânea mensais médios a partir da linha de base (≥ 50% dos respondedores), alteração em relação à linha de base nos dias mensais médios de medicação específica para migrânea aguda e alteração em relação à linha de base nas pontuações dos 2 domínios do Diário de Impacto da Migrânea na Função Física (MPFID): comprometimento físico (PI) e impacto nas atividades diárias (EA). O Diário de Impacto da Migrânea na Função Física (MPFID) é um instrumento de resultados relatados pelo paciente que mede o impacto da migrânea no funcionamento físico. Ele contém 13 itens que avaliam o impacto da migrânea durante as 24 horas anteriores em dois conceitos de interesse de funcionamento físico: impacto nas atividades diárias (EA; 7 itens: por exemplo, dificuldade em atividades que requerem concentração), comprometimento físico (PI, 5 itens: por exemplo, dificuldade em atividades que exigem esforço físico) e um item global avaliando o impacto geral nas atividades cotidianas. Os pacientes classificam a duração do impacto ou nível de dificuldade associado à migrânea diariamente. As pontuações mensais do MPFID são calculadas em média de dias com e sem migrânea; as pontuações mais altas indicam um impacto pior nos domínios EA e PI.

O tratamento com Erenumabe demonstrou melhorias estatisticamente significativas e clinicamente importantes a partir dalinha de base durante os meses 4-6 em comparação com o placebo para resultados de eficácia conforme resumido na Figura 2 e Tabela 312. As diferenças em relação ao placebo foram observadas já no mês 1.

Com base em uma análise pré-especificada, Erenumabe 70mg e 140 mg foram eficazes em pacientes que haviam sido tratados anteriormente com profilaxia de migrânea. A Tabela 3 fornece resultados de subgrupos do Estudo 2 com base em falha profilática prévia devido à falta de eficácia ou intolerância, em uma análise pré-especificada.

Figura 2 – Alteração da linha de base em dias de migrâneas mensais no Estudo 2a

 

a Médias de quadrados mínimos e intervalos de confiança de 95% são apresentados.

O valor de p para a diferença nas médias de quadrados mínimos entre Erenumabe e placebo avaliado como a média ao longo dos meses 4, 5 e 6 (medida de resultado primária) foi <0,001 para ambos as doses de Erenumabe.

Tabela 3 – Resultados de eficácia nos meses 4-6 no Estudo 213

Erenumabe 70 mg (n = 312) Erenumabe 140 mg (n = 318) Placebo (n = 316) Diferença de Tratamento / Razão de Valor de pa
Resultado de eficácia
Dias de migrâneas por mês (DMM)
Alteração médiaIC de 95% -3,23
(-3.58, – 2.88)
-3,67
(-4,02, – 3,33)
-1,83
(-2,18, – 1,48)
70 mg: -1,40 (-1,88, -0,92)
140 mg: -1,85 (-2,33, -1,37)
Ambos < 0,001
≥ 50% dos respondedores de DMM
% 43,3 50,0 26,6
Razão de probabilidade sc IC de 95% 70 mg: 2,13 (1,52, 2,98)
140 mg: 2,81 (2,01, 3,94)
Ambos < 0,001
≥ 75% dos respondedores de DMMd
% MMd % 20,8 22,0 7,9 n / a
Razão de probabilidades IC de 95% 70 mg: 3.14 (1.91, 5.18)
140 mg: 3,35 (2,05, 5,49)
Dias por mês de medicação específica para migrânea agudae
Alteração médiab IC de 95% -1,13
(-1,34, – 0,92)
-1,61
(-1,83, – 1,40)
0,20
(-0,41, 0,02)
70 mg: – 0.94 (-1.23, – 0.64) Ambos < 0,001
Medidas de resultados relatados por paciente
Domínio de comprometimento físico MPFIDM
Alteração médiab IC de 95% -4,24
(-5,02, – 3,45)
-4,81
(-5,59, – 4,03)
-2,38
(-3,16, – 1,59)
70 mg: – 1,86 (-2,95, – 0,77) Ambos< 0,001
Domínio do impacto de atividades cotidianas MPFID
Alteração médiab IC de 95% -5,52
(-6,28, – 4,75)
-5,86
(-6,62, – 5,10)
-3,30
(-4,06, – 2,53)
70 mg: – 2,22 (-3,28, – 1,16) Ambos< 0,001
HIT-6 Alt
IT-6 Alteração média IC de 95% -6,7
(-7,4, -6,0)
-6,9
(-7,6, – 6,3)
-4,6
(-5,3, -4,0)
70 mg: -2,1 (-3,0, -1,1)
140 mg: – 2,3
n/a
MIDAS (modificado) total
Alteração média IC de 95% -6,7
(-7,6, -5,9)
-7,5
(-8,3, – 6,6)
-4,6
(-5,5, -3,8)
70 mg: -2,1 (-3,3, – 0,9)
140 mg:
n/a
Resposta sobre MPFID – domínio de comprometimento físico
Porcentagem (%)f 39,1 42,5 30,1
Razão de probabilidade IC de 95% 70 mg: 1,49 (1,07, 2,08)
140 mg:
Resposta sobre MPFID – no domínio de atividades cotidianas
Porcentagem (%)f 49,0 50,3 34,5
Razão de probabilidade IC de 95% 70 mg: 1,83 (1,33, 2.52)
140 mg:

IC = intervalo de confiança; DMM = dias de migrâneas por mês; MPFID = Diário de Impacto da Migrânea na Função Física.
a. Todos os valores de p são relatados como valores de p não ajustados e são estatisticamente significativos após o ajuste para comparações múltiplas.
b. A alteração média de LS a partir da linha de base nos meses 4-6, a diferença de tratamento e o valor de p são baseados em um modelo linear de efeitos mistos, incluindo grupo de tratamento, valor mensal de linha de base, fatores de estratificação (região [América do Norte vs. resto do mundo] e uso de medicação profilática prévia [virgem de tratamento, apenas uso prévio, uso concomitante]), visita programada e a interação do grupo de tratamento com a visita programada, sem qualquer imputação de dados faltantes.
c. A razão de probabilidades e valor de p para ≥ 50% dos respondedores nos meses 4-6 são baseados em um teste estratificado de Cochran-Mantel-Haenszel após a imputação de dados faltantes como não resposta.
d. Análise post-hoc; nenhum teste de hipótese foi realizado.
e. As medicações específicas para migrânea incluem triptanos e derivados de ergotamina.
f. Redução da linha de base em PI, pontuação média de domínio mensal da EA> = 5.

Tabela 4 – Resultados de eficácia nos meses 4-6 em subgrupos com base profilática anterior no Estudo 2

Erenumabe 70 mg (pacientes que nunca falharam/falha ram ≥1 medicação Erenumabe 140 mg (pacientes que nunca falharam/falhara m ≥1 medicação, n=202/116) Placebo (pacientes que nunca falharam/falhara m ≥1 medicação, n=190/126) Diferença de Tratamento/ Razão de probabilida des (IC de 95%
DT
Dias de migrâneas por mês (DMM) a Mudança Médiab
Nenhuma falha -3,26
(-3,83, – 2,70)
-3,63
(-4,15, – 3,10)
-2,32
(-2,87, -1,78)
70 mg: -0,94 (-1,54, -0,34)
140 mg: -1,30 (-1,89, -0,71)
Falha em ≥ 1 medicação -2,64
(-3,34, – 1,94)
-3,15
(-3,89, – 2,42)
-0,62
(-1,32, 0,08)
70 mg: -2,02 (-2,81, – 1,23)
140 mg: -2.54 (-3.35, – 1.72)
≥ 50% de respondedores de DMM %
Nenhuma falha 46,5% 55,9% 32,6% 70 mg: 1,77(1,16, 2,69)
140 mg: 2,66 (1,76, 4,02)
Falha em ≥ 1 medicação 38,6% 39,7% 17,5% 70 mg: 2,93 (1,63, 5.27)
140 mg: 3,06 (1,70, 5,52)
Dias por mês de medicação específica para migrânea agudac . – Mudança médiab (IC de 95%)
Nenhuma falha -0,91
(-1,20, – 0,61)
-1,27
(-1,55, – 0,99)
-0,33
(-0,62, – 0,04)
70 mg: -0,57 (-0,89, – 0,25)
140 mg: -0,94 (-1,25, – 0,63)
Falha em ≥ 1 medicação -1,51
(-2,00, – 1,01)
-2,16
(-2,68, – 1,65)
-0,05
(-0,54, 0,45)
70 mg: -1,46 (-2,02, – 0,91)
140 mg: -2,12 (-2,69, – 1,55)

IC = intervalo de confiança; DMM = dias de migrâneas por mês; MPFID = Diário de Impacto da Migrânea na Função Física: DT = diferença de tratamento; RP =Razão de Probabilidades.
a. DMM no início do estudo foi de aproximadamente 8 dias de migrânea por mês e semelhante nos subgrupos acima.
b. A alteração média de LS em relação à baseline nos meses 4-6 e a diferença de tratamento são baseadas em um modelo linear de efeitos mistos incluindo grupo de tratamento, valor de linha de base, fatores de estratificação (região [América do Norte vs. resto do mundo] e uso prévio de medicação profilática [virgem de tratamento, apenas uso anterior, uso concomitante]), visita programada e a interação do grupo de tratamento com a visita programada, sem qualquer imputação de dados faltantes.
c. Respondedores são definidos como pacientes que alcançam redução de ≥ 50% no DMM.
d. Razão de probabilidades para ≥ 50% de respondedores nos meses 4-6 é baseada em um teste estratificado de Cochran-MantelHaenszel após a imputação de dados faltantes como não resposta.
e. As medicações específicas para migrânea incluem triptanos e derivados de ergotamina.

A eficácia foi mantida até 1 ano na parte de re-randomização ativa do Estudo 2. Os pacientes foram re-randomizados na fase de tratamento ativo (FTA) para 70 mg ou 140 mg de Erenumabe. 79,8% completaram todo o estudo até 52 semanas. A redução nos dias de migrânea por mês desde o início até à semana 52 foi de -4,22 no grupo de 70 mg de FTA e -4,64 dias no grupo de 140 mg de FTA. Na semana 52, a proporção de pacientes que atingiram uma redução de 50% em DMM a partir da linha de base foi de 61,0% no grupo de 70 mg de FTA e 64,9% no grupo de 140mg.14

Referências Bibliográficas

1. [5.3.5.1] Study reports and related information of controlled clinical studies pertinent to the claimed indication – Study report 20120295 and Study report 20120296 – Section 4, Subject Eligibility. [31]
2. [2.5] Clinical Overview – Section 4.3. [32]
3. [5.3.5.1] Study reports and related information of controlled clinical studies pertinent to the claimed indication – Study Report 20120295 – Section 8.1. 08-May-2017 [33]
4. [5.3.5.1] Study reports and related information of controlled clinical studies pertinent to the claimed indication – Study Report 20120295 – Section 9.3. Protocol 20120295 – Appendix 16.1.1 Section 6.4.[34]
5. [5.3.5.1] Study reports and related information of controlled clinical studies pertinent to the claimed indication – Study Report 20120295: Section 9.3; Table 14-2.3 Baseline characteristics (randomization analysis set); Appendix 16.1.1, Protocol Section 6.4; Table 14-1.1 Subject disposition. [35]
6. [5.3.5.1] Study reports and related information of controlled clinical studies pertinent to the claimed indication – Study Report 20120295 – Section 7.1, Section 7.2, Section 10.1.1. [36]
7. [5.3.5.1] Study reports and related information of controlled clinical studies pertinent to the claimed indication – Study Report 20120295: Table 14-4.4.1.1; Table 10-5; Table 14-4.4.2.1; Table 10-7, 2.5, Clinical Overview, Section 4.3.1.2, 5.3.5.3, ISE, Table 27. [37]
8. [5.3.5.1] Study reports and related information of controlled clinical studies pertinent to the claimed indication – Study Report 20120295: Table 10-4; Table 14-4.3.2.3; Table 14-4.8.2.2; Table 10-3; Table 14-4.3.8.1.; Table 14- 4.8.8.1. [38]
9. [5.3.5.1] Study Report 20130255. [39]
10. [5.3.5.1] Study reports and related information of controlled clinical studies pertinent to the claimed indication – Study Report 20120296 – Section 8.1, Section 8.3, Section 9.3. [40]
11. [5.3.5.1] Study reports and related information of controlled clinical studies pertinent to the claimed indication – Study Report 20120296: Section 16.1.1; Protocol, exclusion criteria section 4.2; Table 9-1; Table 14 1.1.[41]
12. [5.3.5.1] Study reports and related information of controlled clinical studies pertinent to the claimed indication – Study Report 20120296 – Section 7.1, Section 7.2, Section 10.1. [42]
13. [5.3.5.1] Study reports and related information of controlled clinical studies pertinent to the claimed indication – Study Report 20120296 – Table 10-1; Table 10-4; Table 10-5; Table 14-4.17.1; Table 10-7; Table 10-8 [43]
14. [5.3.5.1] Study Report 20130296. [44]
15. [5.3.5.1] Study Report 20120297. [45]

Características Farmacológicas

Grupo farmacoterapêutico: anticorpo monoclonal do receptor de peptídeo relacionado ao gene anti-Calcitonina (antiCGRPR).

Mecanismo de ação

Erenumabe é um anticorpo monoclonal antagonista humano contra o receptor de CGRP sem atividade farmacológica significativa nos receptores de adrenomedulina, calcitonina e amilina e não possui atividade agonista no receptor de CGRP.

O CGRP é um neuropeptídeo que modula a sinalização nociceptiva e um vasodilatador associado à fisiopatologia da migrânea. Em contraste com outros neuropeptídeos, os níveis de CGRP apresentaram aumento significativo durante a migrânea e voltaram ao normal com alívio da dor de cabeça. A infusão intravenosa de CGRP induz a dor de cabeça semelhante à migrânea em pacientes sugerindo que o CGRP pode desempenhar um papel causal na migrânea.

O receptor de CGRP está localizado em locais que são relevantes para a fisiopatologia da migrânea. Erenumabe compete de forma potente e específica com a ligação do CGRP e inibe sua função no receptor de CGRP.

Propriedades farmacodinâmicas

Em um estudo randomizado, duplo-cego, placebo-controlado (20140254) para avaliar o efeito de Erenumabe (140 mg IV, dose única) em pacientes com angina estável, Erenumabe não diminuiu a duração do exercício durante um teste de esteira comparado ao placebo e não agravou a isquemia miocárdica nesses pacientes.

Propriedades farmacocinéticas

Erenumabe exibe cinética não linear como resultado da ligação ao CGRP-R. A administração subcutânea de uma dose de 70 mg e 140 mg em voluntários saudáveis resultou em uma média Cmáx (desvio padrão [DP]) de 6,1 (2,1) mcg/mL 15,8 (4,8) mcg/mL respectivamente, e média AUC última (DP) de 159 (58) dia*mcg/mL e 505 (139) dia*mcg/mL respectivamente.

Observou-se uma acumulação de menos de 2 vezes nas concentrações séricas mínimas (Cmín [SD] 5,7 [3,1] e 6,2 [2,9] mcg/mL para pacientes com migrânea episódica e crónica, respectivamente após doses de 70 mg; Cmín [DP] 12,8 [6,53] e 14,9 [6,45] mcg/mL para pacientes com migrânea episódica e crônica, respectivamente, após doses de 140 mg) administradas por via subcutânea a cada 4 semanas e as concentrações séricas mínimas se aproximaram do estado de equilíbrio em 12 semanas de administração. A meia-vida eficaz de Erenumabe é de 28 dias.

Absorção

Após uma única dose subcutânea de 70 mg ou 140 mg de Erenumabe administrada a adultos saudáveis, as concentrações séricas máximas medianas foram atingidas em aproximadamente 6 dias e a biodisponibilidade absoluta estimada foi de 82%.

Distribuição

Após uma única dose intravenosa de 140 mg, o volume de distribuição médio (DP) durante a fase terminal (Vz) foi estimado em 3,86 (0,77) L.

Metabolismo e excreção

Foram observadas duas fases de eliminação para Erenumabe. Em baixas concentrações, a eliminação ocorre predominantemente através da ligação saturável ao alvo (CGRP-R), enquanto em concentrações mais elevadas a eliminação de Erenumabe ocorre em grande parte através de uma via proteolítica não específica e não saturável.

Populações específicas

A farmacocinética do Erenumabe não foi afetada por idade, gênero, raça, subtipo de migrânea (migrânea episódica ou crônica) ou clearance de creatinina, em todas as populações aprovadas com base na análise de farmacocinética (PK) populacional.

Dados de segurança pré-clínicos

Carcinogênese, mutagênese e comprometimento da fertilidade

Estudos de carcinogenicidade não foram realizados com Erenumabe. Erenumabe não é farmacologicamente ativo em roedores e apresenta atividade biológica nos macacos cynomolgus, mas essa espécie não é um modelo apropriado para avaliação do risco tumorigênico. O potencial mutagênico Erenumabe não foi avaliado; no entanto, não se espera que anticorpos monoclonais alterem o DNA ou os cromossomos.

Não houve efeitos adversos nos marcadores de substituição da fertilidade (patologia anatômica ou alterações histopatológicas em órgãos reprodutivos) no estudo de toxicologia crônica em macacos sexualmente maduros que administraram Erenumabe por via subcutânea em níveis de dose de até 150 mg/kg duas vezes por semana durante 6 meses, em exposições sistêmicas até 283 ou 123 vezes superiores à dose clínica de 70 mg ou 140 mg uma vez por mês, respectivamente, com base na AUC sérica.

Toxicologia animal

Não houve efeitos adversos em macacos que receberam doses de até 150 mg/kg SC duas vezes por semana durante até 6 meses em exposições sistêmicas até 283 ou 123 vezes superiores à dose clínica de 70 mg ou 140 mg uma vez por mês, respectivamente, com base na AUC sérica.

Pasurta® deve ser armazenado sob refrigeração (entre 2ºC e 8ºC) na embalagem original para proteger da luz e não agitar. Não congelar.

Depois de retirado da geladeira, Pasurta® deve ser mantido em temperatura ambiente controlada até 30ºC na embalagem original e deve ser utilizado dentro de 14 dias. Não colocar Pasurta® de volta ao refrigerador assim que o produto tiver atingido a temperatura ambiente.

Não usar este medicamento se o líquido contiver partículas facilmente visíveis, turvo ou nitidamente amarelo.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características do medicamento

Pasurta® é uma solução clara, incolor a amarelada e praticamente livre de partículas.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

MS –100681160

Farm. Resp.:
Flavia Regina Pegorer
CRF-SP 18.150

Importado por:
Novartis Biociências S.A.
Av. Prof. Vicente Rao, 90 São Paulo – SP
CNPJ: 56.994.502/0001-30
Indústria Brasileira

Fabricado por:
Amgen Manufacturing Limited, Juncos, Porto Rico (EUA).

® = Marca depositada em nome de Novartis AG, Basileia, Suíça.

Venda sob prescrição médica.


Informações Profissionais
Fabricante: Novartis
Tipo do Medicamento: Biológico
Necessita de Receita: Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
Princípio Ativo: Erenumabe
Categoria do Medicamento: Dor De Cabeça E Enxaqueca
Classe Terapêutica: Todos As Outras Preparações Antienxaquecosas
Especialidades: Neurologia