Mostrando pesquisa para: Todas as localidades

Nucala 100mg, 1 FRA/AMP – Subcutâneo

Início Medicamentos Asma E Bronquite Mepolizumabe Nucala 100mg, caixa com 1 frasco-ampola com pó para solução de uso subcutâneo

De R$ 6.998,88 até R$ 8.984,25

Nucala é indicado como tratamento complementar de manutenção de asma eosinofílica grave em pacientes adultos. Como o Nucala funciona? Nucala contém a substância ativa mepolizumabe, um anticorpo monoclonal, um tipo de proteína designada para reconhecer uma substância alvo específica no corpo. É...

Leia mais...
Fabricante: GSK
Tipo do Medicamento: Biológico
Princípio Ativo: Mepolizumabe
Necessita de Receita: Branca Comum (Dispensação Sob Prescrição Médica Restrito a Hospitais)
7000.00
Logo da empresa
R$ 7.000,00

Entregamos na sua região com melhor preço, prazo e de forma simples. Clique abaixo e fale conosco!

7868.52
Logo da empresa
R$ 7.868,52

Entregamos na sua região com melhor preço , prazo e de forma simples . Clique abaixo e fale conosco!

8984.25
Logo da empresa
R$ 8.984,25

Entregamos na sua região com melhor preço , prazo e de forma simples . Clique abaixo e fale conosco!

6998.88
Logo da empresa
R$ 6.998,88

Já atendemos mais de 2.800 Demandas Judicias. Preço, Prazo e Confiança é Conosco! - Garantimos a entrega ou seu dinheiro de volta!

Nucala é indicado como tratamento complementar de manutenção de asma eosinofílica grave em pacientes adultos.

Como o Nucala funciona?


Nucala contém a substância ativa mepolizumabe, um anticorpo monoclonal, um tipo de proteína designada para reconhecer uma substância alvo específica no corpo. É utilizado no tratamento da asma grave em adultos.

Algumas pessoas com asma grave tem muitos eosinófilos (um tipo de glóbulos brancos) no sangue e nos pulmões. Esta condição é chamada asma eosinofílica – o tipo de asma que Nucala pode tratar.

O mepolizumabe, a substância ativa do Nucala reduz o número de eosinófilos no sangue e os pulmões.

Se a sua asma não está bem controlada pelo seu tratamento existente, Nucala pode reduzir o número de ataques de asma.

Se você estiver tomando medicamentos chamados corticosteroides orais, Nucala também pode ajudar a reduzir a dose diária que você precisa para controlar a sua asma.

Nucala não deve ser utilizado caso você apresente hipersensibilidade ao mepolizumabe ou a qualquer dos excipiente da fórmula.

Verifique com seu médico se isto é aplicável a você.

Nucala deve ser administrado por um profissional de saúde.

Após reconstituição, Nucala deve ser administrado somente por injeção subcutânea – por exemplo no braço, na coxa ou no abdome.

Nucala é fornecido como pó liofilizado, em frasco-ampola para uso único somente para injeção subcutânea, e deve ser reconstituído por um profissional de saúde usando as seguintes técnicas assépticas:

Informações para o Profissional de Saúde

Instruções de reconstituição

  1. Reconstitua o mepolizumabe em pó no frasco-ampola com 1,2 mL de água para injeção estéril, preferencialmente com seringa de 2 a 3 mL e agulha de 21 gauge. A solução reconstituída contém uma concentração de 100 mg/mL de mepolizumabe.
  2. O jato de água para injeção estéril deve ser direcionado verticalmente para o centro da massa liofilizada. Permita que o frasco-ampola descanse em temperatura ambiente durante a reconstituição, girando-o gentilmente com movimentos circulares por 10 segundos, em intervalos de 15 segundos, até que o pó esteja dissolvido.

Observação: não agite a solução reconstituída durante o procedimento, porque isso pode causar precipitação ou fazer com que o produto crie espuma. Geralmente, a reconstituição é concluída em 5 minutos depois da adição da água estéril, mas o processo pode ser mais demorado.

  1. Em caso de uso de um dispositivo mecânico (swirler) para reconstituição, o processo pode ser realizado girando-se o frasco-ampola a 450 rpm por não mais que 10 minutos. Como alternativa, também é possível girar o frasco-ampola a 1.000 rpm por não mais que 5 minutos.
  2. Antes de usar inspecione visualmente a solução reconstituída para checar a presença de material particulado e a limpidez. A solução deve ser de transparente a opalescente, de incolor a amarelo pálido ou marrom pálido e estar livre de partículas visíveis. Pode, entretanto, ocorrer a presença de pequenas bolhas de ar, o que é aceitável. Se forem observados materiais particulados na solução ou ela parecer turva ou leitosa, não deve ser usada.
  3. Se não utilizada imediatamente após o preparo, a solução reconstituída de mepolizumabe. Deve ser armazenada no frasco ampola a uma temperatura abaixo de 30°C. Deve ser descartada se não for utilizada no prazo de 8 horas após a reconstituição. Não deve ser misturada com outros medicamentos. Não deve ser congelada.

Administração

  1. Para administração subcutânea, deve-se preferencialmente utilizar uma seringa de polipropileno de 1 mL, com agulha de 21 gauge a 27 gauge x 0,5 polegada (13 mm).
  2. Logo antes da administração, remova 1 mL de mepolizumabe reconstituído. Não agite a solução reconstituída durante o procedimento, porque isso pode causar precipitação ou fazer com que o produto crie espuma.
  3. Administre a injeção de 1 mL (equivalente a 100 mg de mepolizumabe) por via subcutânea na parte superior do braço, coxa ou abdome.

Descarte

Todo medicamento não utilizado ou resíduo deve ser descartado de acordo com as exigências locais.

Posologia do Nucala


Adultos

A dose recomendada é de 100 mg de Nucala administradas por injeção subcutânea (SC) uma vez a cada 4 semanas.

Idosos (65 anos ou mais)

Não há recomendação de ajuste de dose em pacientes de 65 anos ou mais.

Insuficiência renal

Não é provável que haja necessidade de ajustes de dose em pacientes com insuficiência renal.

Insuficiência hepática

Não é provável que haja necessidade de ajustes de dose em pacientes com insuficiência hepática.

Incompatibilidades

Não misture a solução reconstituída para injeção com outros medicamentos.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o Nucala?


Se você esquecer de usar uma dose de Nucala contacte o seu médico ou hospital o mais rápido possível para reagendar sua consulta.

Não pare Nucala sem aconselhamento.

Não pare de receber injeções de Nucala a menos que seu médico o aconselhe. Interromper ou parar o tratamento com Nucala pode causar o retorno dos seus sintomas e ataques de asma.

Se os seus sintomas da asma piorarem enquanto estiver recebendo injeções de Nucala, contacte o seu médico.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Nucala não deve ser usado para tratar exacerbações (crise) agudas de asma.

Nucala deve ser utilizado com cuidado nas situações abaixo.

Piora da asma

Algumas pessoas podem apresentar efeitos colaterais relacionados à asma ou a asma pode piorar durante o tratamento com Nucala.

Informe ao seu médico caso a sua asma permaneça descontrolada ou piore após o início do tratamento com Nucala.

Alergias e reações no local da injeção

Medicamentos deste tipo (anticorpos monoclonais) podem causar reações alérgicas graves quando injetados no corpo. Informe ao seu médico antes da administração de Nucala, caso você tenha tido reação similar à qualquer injeção ou medicamento.

Infecções parasitárias

Nucala pode enfraquecer a sua resistência às infecções causadas por parasitas. Se você tem uma infecção parasitária, ela deve ser tratada antes de iniciar o tratamento com Nucala.

Se você vive em uma região onde estas infecções são comuns ou se você estiver viajando para essa região verifique com seu médico se isto se aplica a você.

Fertilidade

Não há dados sobre o efeito do medicamento sobre a fertilidade em seres humanos.

Atenção diabéticos: este medicamento contém sacarose.

Como ocorre com todos os medicamentos, Nucala pode causar reações indesejáveis, embora nem todos os indivíduos apresentem essas reações. Os efeitos colaterais causados por Nucala são geralmente de leves a moderados, mas ocasionalmente podem ser graves. Em caso de ocorrência de reações de hipersensibilidade Nucala deve ser descontinuado.

As reações observadas após a administração de Nucala são descritas abaixo.

Reações muito comuns (ocorrem em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Dor de cabeça.

Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Infecção no pulmão (sintomas nos quais podem incluir tosse e febre – temperatura elevada); infecção do trato urinário (sangue na urina, dor e miccção frequente, febre, dor na parte inferior das costas); dor na parte superior do abdome (dor de estômago ou desconforto na região superior do estômago); febre; eczema (manchas vermelhas que coçam na pele); reações no local da injeção (dor, vermelhidão, inchaço e sensação de quiemação da pele no local próximo à área de aplicação da injeção); dor nas costas; faringite (dor de garganta); congestão nasal (nariz entupido); reações alérgicas sistêmicas (hipersensibilidade incluindo erupção cutânea, prurido (coceira), cefaleia (dor de cabeça) e mialgia (dor muscular)), reações sistêmicas não alérgicas (erupção cutânea, rubor e mialgia (dor muscular)).

*Os sintomas mais comuns associados com injeção subcutânea incluem dor, vermelhidão, inchaço, coceira e sensação de queimação perto do local onde a injeção foi dada.

Dados pós-comercialização

Reações raras (ocorrem entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento):

Reação alérgica de hipersensibilidade, incluindo anafilaxia.

Atenção: este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer reações adversas imprevisíveis ou desconhecidas. Nesse caso, informe seu médico.

Apresentação

Pó liofilizado para solução injetável.

Nucala é apresentado em embalagem com 1 frasco-ampola contendo 100 mg de mepolizumabe (100 mg/mL após a reconstituição).

Uso subcutâneo.

Uso adulto.

Composição

Cada frasco-ampola contém:

Mepolizumabe100 mg (100 mg/mL após a reconstituição)
Excipientes1 frasco-ampola

Excipientes: sacarose, fosfato de sódio dibásico hepta-hidratado, polissorbato 80 e ácido clorídrico.

Não há experiência clínica de superdose com Nucala.

Em um ensaio clínico, administraram-se doses únicas de até 1.500 mg de mepolizumabe por via intravenosa a pacientes com doença eosinofílica sem evidência de toxicidade relacionada à dose.

Tratamento

Não há um tratamento específico para a superdose de Nucala.

Em caso de superdose, o paciente deve ser tratado com cuidados de suporte e monitoramento adequado, caso necessário.

Os tratamentos adicionais devem ser realizados de acordo com o que for indicado clinicamente ou recomendado pelo centro nacional de intoxicações local, se disponível.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou a bula do medicamento se possível. Ligue para08007226001 se você precisar de mais orientações.

Avise ao seu médico caso esteja tomando outros medicamentos, tenha tomado recentemente ou poderá começar a tomar outra medicação.

Outros medicamentos para asma

Não pare abruptamente o uso de medicamentos para asma após o início da terapia com Nucala. Estes medicamentos (especialmente aqueles chamados corticoesteroides) devem ser diminuídos gradualmente sob supervisão médica e dependendo da sua resposta ao Nucala.

Informe seu médico se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para sua saúde.

Resultados de Eficácia


Estudos clínicos

A eficácia de Mepolizumabe (substância ativa) no tratamento de um grupo-alvo de indivíduos com asma eosinofílica grave foi avaliada em 3 estudos clínicos randomizados, duplo-cegos e em grupos paralelos, com duração de 24 a 52 semanas em pacientes a partir de 12 anos de idade. Esses estudos foram delineados para avaliar a eficácia da administração de Mepolizumabe (substância ativa) 1 vez a cada 4 semanas, por injeção subcutânea ou intravenosa, em pacientes com asma eosinofílica grave não controlada com os tratamentos padrão [p. ex. corticosteroides inalatórios (CI), corticosteroides orais (CO), combinação de CI com agonistas beta-2 adrenérgicos de ação prolongada (LABA), modificadores de leucotrienos, agonistas beta-2 adrenérgicos de curta ação (SABA)].

A segurança e eficácia em pacientes pediátricos com idade inferior a 12 anos não foram estabelecidas. Um total de 28 adolescentes entre 12 a 17 anos com asma foram inscritos nos estudos de fase 3. Desses, 25 foram inscritos num estudo de exacerbação de 32 semanas (Estudo 2) e tinham uma idade média de 14,8 anos. Os indivíduos tinham um histórico de 2 ou mais exarcebações no ano anterior apesar do uso regular de altas doses de corticosteroides inalatórios mais controlador(es) adicional(ais) com ou sem corticosteroides orais e tinham eosinófilos sanguíneos superior ou igual a 150 células/μL na triagem ou maior ou igual a 300 células/μL dentro de 12 meses anteriores a inscrição. Indivíduos tiveram uma redução da taxa de exacerbação que tendiam a favor do Mepolizumabe (substância ativa).

Dos 19 adolescentes que receberam Mepolizumabe (substância ativa), 9 receberam Mepolizumabe (substância ativa) e o clearance médio aparente nesses indivíduos era 35% menor que nos adultos. O perfil de eventos adversos em adolescentes foi geralmente similar ao da população global no estudo de fase 3.

Estudos controlados com placebo

No MEA112997, um estudo randomizado, duplo-cego, placebo-controlado, de grupos paralelos, multicêntrico, com 52 semanas de duração e 616 pacientes, os resultados demonstraram que Mepolizumabe (substância ativa) (nas doses de 75mg, 250mg e 750mg) reduziu significativamente as exacerbações de asma quando administrado por via intravenosa, em comparação ao placebo. Não se observou nenhuma diferença estatisticamente significativa quanto ao efeito das 3 doses estudadas. Por meio das contagens de eosinófilos sanguíneos ≥150 células/μL na triagem, ou de eosinófilos sanguíneos ≥300 células/μL nos 12 meses anteriores, antecipouse quais seriam os indivíduos que mais se beneficiariam do tratamento com Mepolizumabe (substância ativa). Os resultados desse estudo foram usados para determinar a seleção de doses para os estudos com administração subcutânea de Mepolizumabe (substância ativa). O Mepolizumabe (substância ativa) não é indicado para uso por via intravenosa e somente deve ser administrado por via subcutânea.

Endpoints Primários MEA112997

Avaliação da relação dose-resposta baseada na eficácia e segurança das três dosagens de Mepolizumabe (substância ativa) (75 mg, 250 mg, e 750 mg) durante o período de tratamento de 52 semanas em pacientes adultos e adolescentes com asma refratária grave não controlada.

Tabela 1 Frequência de Exacerbações Clínicas Significantes na Semana 52 na população passível de tratamento:

Endpoints secundários MEA112997

Avaliação do efeito de farmacodinâmica de Mepolizumabe (substância ativa) no número de eosinófilos no sangue, niveis séricos de IL-5 e o número de eosinófilos na expectoração induzida.

A proporção de eosinófilos sanguíneos na linha de base era consistentemente menor em todos os grupos de Mepolizumabe (substância ativa) comparado ao grupo placebo [p<0.001 para todas as doses e em todos os pontos de tempo medidos (a cada 4 semanas, da semana 4 à semana 52)] (Fonte de dados nas Tabelas 6.67 e 6.68).

Esses dados sugerem que houve efeito dose-dependente; houve diferença maior entre placebo com o aumento da dose de Mepolizumabe (substância ativa) (Fonte de dados – Tabela 6.68). Na semana 52 as proporções dos grupos de Mepolizumabe (substância ativa) para placebo (ajustado para covariáveis) da razão de eosinófilos sanguíneos para a linha de base para Mepolizumabe (substância ativa) a 75 mg, 250 mg e 750 mg foram 0,22 (95% IC: 0,18 a 0,27); 0,14 (95% IC: 0,12 a 0,18); e 0,12 (95% IC: 0,09 a 0,14), respectivamente. Uma análise da razão comparada da linha de base dos eosinófilos no sangue na semana 56 (8 semanas após a última dose de Mepolizumabe (substância ativa)) não demonstra o retorno de eosinófilos além da linha de base em qualquer um dos grupos de tratamento por Mepolizumabe (substância ativa).

O resumo dos dados sobre as concentrações séricas totais de IL-5 (IL-5 e complexo Mepolizumabe (substância ativa)/IL-5) é apresentado na Tabela de Fonte de Dados 6.75 (em testes de laboratórios: Interleucina 5 pg/mL), com análise estatística do total de IL-5 apresentada na Tabela de Fonte de Dados 6.76. Houve aumento dos níveis médios de IL-5 sérica total comparado ao placebo para todas as doses de Mepolizumabe (substância ativa) e em todos os pontos de tempo medidos (semana 16 e 48; Fonte de Dados – Tabela 6.76)

Os indivíduos do subgrupo que passou por análise do escarro (N=94) exibiram uma redução consistente similar em todos os grupos de Mepolizumabe (substância ativa) em comparação ao placebo, quando foi avaliada a proporção de eosinófilos em relação a linha de base.

Devido ao menor número de pacientes neste subgrupo, o poder de detectar a alteração entre cada grupo de tratamento de Mepolizumabe (substância ativa) e placebo foi reduzido.

Houve um efeito dose-dependente, pois as diferenças entre o grupo placebo e os grupos de Mepolizumabe (substância ativa) aumentaram a medida qua a dose de Mepolizumabe (substância ativa) aumentava. Na semana 52, quando comparada a linha de base, as razões entre o número de eosinófilos no escarro dos pacientes em uso de Mepolizumabe (substância ativa) 75 mg, 250 mg e 750 mg e placebo (ajustada para covariáveis) era respectivamente de 0,68 (IC 95%: 0,13 a 3,52); 0,35 (95% CI: 0,08 a 1,52); e 0,12 (IC 95%: 0,02 a 0,56), respectivamente (Tabela da Fonte de Dados 6.70).

Redução das exacerbações (MEA115588)

O MEA115588 foi um estudo randomizado, duplo-cego, placebo-controlado, de grupos paralelos e multicêntricos que avaliou a eficácia e a segurança de Mepolizumabe (substância ativa) como terapia adjuvante em 576 pacientes com asma eosinofílica grave. Este estudo analisou a frequência das exacerbações de asma clinicamente significativas, considerando-se os seguintes aspectos: piora da asma que requer uso de corticosteroides orais ou sistêmicos e/ou hospitalização e/ou consulta no setor de emergência.

Os pacientes tinham 12 anos de idade ou mais, história de duas ou mais exacerbações de asma nos 12 meses anteriores e asma não controlada com os tratamentos medicamentosos atuais [isto é, altas doses de corticosteroides inalatórios (CI), combinados com pelo menos outro agente de controle, como os agonistas beta-2 adrenérgicos de ação prolongada (LABA) ou osmodificadores de leucotrienos]. Permitiu-se que os pacientes estivessem em corticoterapia oral e continuassem a receber a sua medicação existente para asma durante o estudo. A asma eosinofílica grave foi definida como contagem de eosinófilos do sangue periférico ≥150 células/μL dentro de 6 semanas após a randomização (primeira dose), ou contagem de eosinófilos sanguíneos ≥ 300 células/μL dentro dos 12 meses anteriores à randomização.

Os pacientes receberam 100 mg de Mepolizumabe (substância ativa) por via subcutânea (SC), ou 75 mg por via intravenosa (IV), ou placebo, 1 vez a cada 4 semanas, ao longo de 32 semanas.

O endpoint primário, isto é, a redução da frequência de exacerbações de asma clinicamente significativas, foi estatisticamente significativo (p<0,001). A Tabela 1 mostra os resultados do endpoint primário e dos endpoints secundários do MEA115588.

Tabela 1 Resultados de endpoints primário e secundários na Semana 32 na população com intenção de tratar (MEA115588):

Mepolizumabe (substância ativa) (100 mg SC) N=194Placebo N=191
Endpoint primário
Frequência de exacerbações clinicamente significativas
Taxa de exacerbações por ano0,831,74
Percentual de redução53%
Razão de taxas (IC de 95%)0,47 (0,35;0,64)
Valor-p<0,001
Endpoints secundários
Frequência de exacerbações que requerem hospitalização/consulta no setor de emergência
Taxa de exacerbações por ano0,080,20
Percentual de redução61%
Razão de taxas (IC de 95%)0,39 (0,18;0,83)
Valor-p0,015
Frequência de exacerbações que requerem hospitalização
Taxa de exacerbações por ano0,030,10
Percentual de redução69%
Razão de taxas (IC de 95%)0,31 (0,11;0,91)
Valor- p0,034
VEF1 pré-broncodilatador (mL) na Semana 32
Alteração média com relação ao índice basal (EP)183 (31,1)86 (31,4)
Diferença (Mepolizumabe (substância ativa) vs placebo)98
IC de 95%11;184
Valor-p0,028
Questionário do Hospital St George para Doença Respiratória (SGRQ) na Semana 32
Alteração média com relação ao escore basal (EP)-16,0 (1,13)-9,0 (1,16)
Diferença (Mepolizumabe (substância ativa) vs placebo)-7,0
IC de 95%-10,2; -3,8
Valor- p<0,001

O tempo até a primeira exacerbação foi mais longo para os grupos que receberamMepolizumabe (substância ativa) 75 mg IV em comparação ao grupo placebo no Estudo 2 (Figura 1).

Figura 1. Curva de Incidência Cumulativa de Kaplan-Meier de Tempo Até a Primeira Exacerbação (Estudo 2):

Os dados do Estudo 1 foram explorados para determinar um critério que pudesse identificar indivíduos que poderiam se beneficiar do tratamento com Mepolizumabe (substância ativa). A análise exploratória sugeriu que a contagem de eosinófilos sanguíneos acima de 150 células/μL era um potencial indicador do benefício ao tratamento.

A análise exploratória dos dados do Estudo 2 também sugeriu que a contagem de eosinófilos sanguíneos (obtidos dentro de 6 semanas após o início da dosagem) de 150 células/μL na linha de base era um potencial indicador da eficácia e mostraram uma tendência de maior benefício de exacerbação com o aumento da contagem de eosinófilos no sangue. No Estudo 2, os indivíduos inscritos apenas com base na contagem histórica de eosinófilos no sangue de 300 células/μL ou mais nos últimos 12 meses, mas que tiveram uma contagem basal sanguínea de eosinófilos menor que 150 células/μL, praticamente tiveram nenhum benefício de exarcebação após o tratamento com Mepolizumabe (substância ativa) comparado com placebo.

Uma análise exploratória foi conduzida no subgrupo de 29 indivíduos no Estudo 3 que tiveram uma contagem média de eosinófilos sanguíneos na linha de base inferior a 150 células/μL. Cinco (29%) indivíduos no grupo recebendo Mepolizumabe (substância ativa) contra 0 (0%) no grupo placebo tiveram redução de 90% a 100% em suas doses. Quatro (24%) indivíduos no grupo recebendo Mepolizumabe (substância ativa) contra 8 (67%) no grupo placebo foram classificados como não tendo melhora para dose oral de corticosteroide.

Redução do uso de corticosteroides orais (MEA115575)

O MEA115575 avaliou o efeito de 100 mg de Mepolizumabe (substância ativa) SC sobre a redução do uso de corticosteroides orais (CO) de manutenção, com a doença sob controle, em indivíduos com asma eosinofílica grave dependentes de corticosteroides sistêmicos. Os pacientes apresentavam contagem de eosinófilos no sangue periférico ≥ 300 células/μL nos 12 meses anteriores à triagem ou ≥ 150 células/μL ao entrar no estudo. Os pacientes receberam Mepolizumabe (substância ativa) ou placebo 1 vez a cada 4 semanas ao longo do período de tratamento. Na fase de redução do uso de CO, reduziu-se a dose desse fármaco a cada 4 semanas (Semanas 4-20), desde que a asma se mantivesse sob controle. Durante o estudo, os pacientes continuaram com o tratamento de asma que usavam ao entrar no estudo [isto é, altas doses de corticosteroides inalatórios (CI), combinados com pelo menos outro agente de controle, como os agonistas beta-2 adrenérgicos de ação prolongada (LABA) ou os modificadores de leucotrienos].

Esse estudo incluiu um total de 135 pacientes, com idade média de 50 anos: 55% eram do sexo feminino, 48% estavam em tratamento com corticoides orais havia pelo menos 5 anos e recebiam na triagem o equivalente a uma dose média de prednisona de 13 mg por dia no início do estudo.

endpoint primário foi a redução da dose diária de CO (semanas 20-24), com manutenção do controle da asma, em comparação a pacientes tratados com placeb.

Tabela 2. Resultados de endpoints primário e secundários na população com intenção de tratar (MEA115575):

Mepolizumabe (substância ativa) (100 mg SC) N=69Placebo N=66
Endpoint primário
Percentual de redução de uso de CO nas Semanas 20 a 24 com relação ao início do estudo (%)
90% – 100%16 (23%)7 (11%)
75% – <90%12 (17%)5 (8%)
50% – <75%9 (13%)10 (15%)
>0% – <50%7 (10%)7 (11%)
Não redução de uso de CO/falta de controle da asma/interrupção do tratamento25 (36%)37 (56%)
Odds ratio (IC de 95%)2,39 (1,25;4,56)
Valor-p0,008
Endpoints secundários
Redução da dose diária de CO (%)
Pelo menos 50% de redução37 (54%)22 (33%)
Odds ratio (IC de 95%)2,26 (1,10; 4,65)
Valor-p0,027
Redução da dose diária de CO (%)
Para ≤5 mg/dia37 (54%)21 (32%)
Odds ratio (IC de 95%)2,45 (1,12; 5,37)
Valor- p0,025
Redução da dose diária de CO
Para 0 mg/dia10 (14%)5 (8%)
Odds ratio (IC de 95%)1,67 (0,49; 5,75)
Valor-p0,414
Redução média da porcentagem de dose diária de CO
Redução média da % com relação ao índice basal (IC de 95%)50,0 (20,0; 75,0)0,0 (-20,0; 33,3)
Diferença média (IC de 95%)-30,0 (-66,7; 0,0)
Valor- p0,007

Além disso, mediu-se a qualidade de vida relacionada à saúde usando-se o SGRQ. Na Semana 24 houve melhora estatisticamente significativa do escore médio do SGRQ com Mepolizumabe (substância ativa) em comparação ao placebo: -5,8 (IC de 95%: -10,6; -1,0; p=0,019). Na Semana 24 a proporção de indivíduos que apresentaram uma redução clinicamente significativa do escore SGRQ (definida como redução de pelo menos 4 unidades em relação ao basal) foi maior com Mepolizumabe (substância ativa) (58%; 40/69) em comparação ao placebo (41%; 27/66).

Características Farmacológicas


Farmacodinâmica

Classificação ATC: R03DX09.

Grupo farmacoterapêutico: medicamentos para doenças obstrutivas das vias respiratórias, outros medicamentos sistêmicos para doenças obstrutivas das vias respiratórias.

Mecanismo de ação

O Mepolizumabe (substância ativa) é um anticorpo monoclonal humanizado (IgG1, kappa) que tem como alvo a interleucina 5 humana (IL-5) com alta afinidade e especificidade. A IL-5 é a principal citocina responsável pelo crescimento e diferenciação, recrutamento, ativação e sobrevivência dos eosinófilos.

O Mepolizumabe (substância ativa) inibe a bioatividade da IL-5 com potência nanomolar ao bloquear a ligação da IL-5 à cadeia alfa do complexo receptor dessa citocina expressa na superfície celular do eosinófilo, de maneira a inibir a sinalização da IL-5 e reduzir a produção e a sobrevivência dos eosinófilos.

Efeitos farmacodinâmicos

Em ensaios clínicos a redução dos eosinófilos sanguíneos após o tratamento com Mepolizumabe (substância ativa) foi consistentemente observada. A magnitude e a duração dessa redução foram dose-dependente. Após uma dose de 100 mg por administração subcutânea a cada 4 semanas durante 32 semanas, os eosinófilos sanguíneos foram reduzidos a uma contagem média geométrica de 40 células/μL.

Isso corresponde a uma redução média geométrica de 84% comparada ao placebo. Tal magnitude de redução foi observada dentro de 4 semanas de tratamento.

Imunogenicidade

De maneira consistente com as propriedades potencialmente imunogênicas dos tratamentos com proteínas e peptídeos, os pacientes podem desenvolver anticorpos contra o Mepolizumabe (substância ativa) após o tratamento. No geral, 15/260 indivíduos (6%) tratados com 100 mg por via subcutânea desenvolveram anticorpos antiMepolizumabe (substância ativa) após receber pelo menos uma dose desse fármaco.

Anticorpos neutralizantes foram detectados em um indivíduo em tratamento com Mepolizumabe (substância ativa). Os anticorpos antiMepolizumabe (substância ativa) não impactaram de modo perceptível a farmacocinética e farmacodinâmica do tratamento com Mepolizumabe (substância ativa) na maioria dos pacientes, e não houve evidência de correlação entre títulos de anticorpos e mudanças no nível de eosinófilos.

Farmacocinética

Após a administração subcutânea a indivíduos com asma moderada ou grave, o Mepolizumabe (substância ativa) exibiu farmacocinética aproximadamente proporcional à dose na faixa de 12,5 a 250 mg.

Absorção

Após administração subcutânea a indivíduos saudáveis ou pacientes com asma, o Mepolizumabe (substância ativa) foi absorvido lentamente com um tempo médio para atingir a concentração plasmática máxima (Tmáx) de 4 a 8 dias.

Com a administração única por via subcutânea no abdome, coxa ou braço de indivíduos saudáveis, a biodisponibilidade absoluta de Mepolizumabe (substância ativa) foi de 64%, 71% e 75%, respectivamente. Em pacientes com asma, a biodisponibilidade absoluta de Mepolizumabe (substância ativa) administrado por via subcutânea no braço variou de 74% – 80%. Após a administração subcutânea repetida a cada 4 semanas, a acumulação é quase duplicada em estado de equilíbrio.

Distribuição

Após uma única administração de Mepolizumabe (substância ativa) por via intravenosa a pacientes com asma, o volume médio de distribuição é de 55 a 85 mL/kg.

Metabolismo

O Mepolizumabe (substância ativa) é um anticorpo monoclonal IgG1 humanizado e degradado por enzimas proteolíticas que são amplamente distribuídas no corpo e não restritas ao tecido hepático.

Eliminação

Após uma única administração por via intravenosa a pacientes com asma, a média do clearence sistêmico variou de 1,9 a 3,3 mL/dia/kg, com média de meiavida terminal de aproximadamente 20 dias. Após a administração de Mepolizumabe (substância ativa) por via subcutânea, a média de meia-vida terminal (t½) variou entre 16 e 22 dias. Na análise farmacocinética da população, a taxa estimada do clearence sistêmico de Mepolizumabe (substância ativa) foi de 3,1 mL/dia/kg.

Populações especiais

Analisou-se a farmacocinética de Mepolizumabe (substância ativa) na população para avaliar os efeitos das características demográficas. A análise desses dados limitados sugere que não são necessários ajustes relacionados a raça ou sexo.

Pacientes idosos (65 anos ou mais)

Não se conduziram estudos formais com pacientes idosos. Entretanto, na análise farmacocinética da população não houve indicações de efeito de idade (na faixa de 12-82 anos) sobre a farmacocinética de Mepolizumabe (substância ativa).

Insuficiência renal

Não se conduziram estudos formais para investigar o efeito da insuficiência renal sobre a farmacocinética de Mepolizumabe (substância ativa). Com base na análise farmacocinética da população, não são necessários ajustes de dose para pacientes com valores do clearence de creatinina entre 50-80 mL/min. Há poucos dados disponíveis a respeito de pacientes com valores do clearence da creatinina inferiores a 50 mL/min.

Insuficiência hepática

Não se conduziram estudos formais para investigar o efeito da insuficiência hepática sobre a farmacocinética de Mepolizumabe (substância ativa). Considerando-se que o Mepolizumabe (substância ativa) é degradado por enzimas proteolíticas com alta taxa de distribuição não restrita ao tecido hepático, é provável que as alterações da função hepática não tenham nenhum efeito sobre a eliminação desse fármaco.

Frasco-ampola fechado

Armazenar entre 2 ºC e 8 ºC. Não congelar.

Proteger da luz. Armazenar na embalagem original até o uso.

Solução reconstituída

Após a reconstituição com água para injeção, o produto permanecerá estável por até 8 horas se armazenado no frasco ampola, a temperaturas abaixo de 30°C. Não congele.

Durante a administração, não é necessário proteger da luz.

O medicamento é fornecido em frasco-ampola para uso único e sem conservantes.

O prazo de validade é de 48 meses a contar da data de fabricação.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Depois de aberto ou preparado, este medicamento deve ser utilizado imediatamente.

Aspectos físicos/características organolépticas

Nucala se apresenta como um pó branco.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o médico ou o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Reg. MS:101070335

Farm. Resp.:
Edinilson da Silva Oliveira
CRF-RJ 18.875

Fabricado por:
GlaxoSmithKline Manufacturing S.p.A.
Strada Provinciale Asolana n° 90 (Loc. San Polo)
43056 Torrile (PR) – Parma – Itália

Registrado e Importado por:
GlaxoSmithKline Brasil Ltda.
Estrada dos Bandeirantes, 8.464 – Rio de Janeiro – RJ
CNPJ: 33.247.743/0001-10

Venda sob prescrição médica. 


Informações Profissionais
Fabricante: GSK
Tipo do Medicamento: Biológico
Necessita de Receita: Branca Comum (Dispensação Sob Prescrição Médica Restrito a Hospitais)
Princípio Ativo: Mepolizumabe
Categoria do Medicamento: Asma E Bronquite
Classe Terapêutica: Todos Os Outros Asmáticos/Dpoc, Sistêmicos
Especialidades: Pneumologia