Mostrando pesquisa para: Todas as localidades

Cabometyx 60mg, caixa com 30 comprimidos revestidos

Início Medicamentos Câncer Levomalato De Cabozantine Cabometyx 60mg, caixa com 30 comprimidos revestidos

De R$ 44.010,50 até R$ 54.513,00

Este medicamento é indicado para o tratamento do carcinoma de células renais avançado (RCC), um tipo de câncer dos rins: Em adultos não tratados com risco intermediário ou alto segundo critérios clínicos. Em adultos que fizeram tratamento anterior com inibidor do receptor do...

Leia mais...
Fabricante: Ipsen
Princípio Ativo: Levomalato De Cabozantine
Necessita de Receita: Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
44010.50
Logo da empresa
R$ 44.010,50

Entregamos na sua região com melhor preço , prazo e de forma simples . Clique abaixo e fale conosco!

54513.00
Logo da empresa
R$ 54.513,00

Entregamos na sua região com melhor preço , prazo e de forma simples . Clique abaixo e fale conosco!

48888.88
Logo da empresa
R$ 48.888,88

Já atendemos mais de 2.800 Demandas Judicias. Preço, Prazo e Confiança é Conosco! - Garantimos a entrega ou seu dinheiro de volta!

Este medicamento é indicado para o tratamento do carcinoma de células renais avançado (RCC), um tipo de câncer dos rins:

  • Em adultos não tratados com risco intermediário ou alto segundo critérios clínicos.
  • Em adultos que fizeram tratamento anterior com inibidor do receptor do fator de crescimento endotelial vascular (VEGFR).

Como o Cabometyx funciona?


A substância ativa do Cabometyx®, o levomalato de cabozantinibe, é um inibidor de uma enzima chamada tirasina-quinase. Isso significa que ela bloqueia a atividade de proteínas chamadas receptoras tirosina-quinases (RTKs), que estão envolvidas no crescimento das células e no desenvolvimento de novos vasos sanguíneos que lhes fornece suprimento de sangue. Essas proteínas podem estar presentes em grandes quantidades nas células cancerígenas e, ao bloquear sua ação, o Cabometyx® pode diminuir a velocidade de crescimento do tumor e ajudar a cortar o suprimento de sangue de que o câncer necessita, ajudando a reduzir a propagação do câncer.

Este medicamento é contraindicado para uso por pessoa que já teve algum tipo de alergia ou alguma reação incomum a um dos componentes da fórmula do produto. Pacientes com doenças hereditárias raras de intolerância à galactose, deficiência de lactase própria de algumas pessoas dos países nórdicos(os lapões) ou má-absorção de glicose-galactose, não devem tomar este medicamento.

Categoria D de risco na gravidez: o medicamento demonstrou evidências positivas de risco fetal humano, no entanto, os benefícios potenciais para a mulher podem, eventualmente, justificar o risco, como, por exemplo, em casos de doenças graves ou que ameaçam a vida, e para as quais não existam outras drogas mais seguras.

Cabometyx® é indicado somente para uso oral e deve ser utilizado de acordo com as instruções do item “Dose”, a seguir.

Os comprimidos devem ser engolidos inteiros.

O tratamento com Cabometyx® deve ser iniciado por um médico com experiência na administração de medicamentos para tratamento de câncer.

Posologia do Cabometyx


A dose recomendada é 60 mg uma vez por dia. O tratamento deve continuar até o paciente não mais se beneficiar clinicamente da terapia ou até ocorrer uma toxicidade inaceitável.

Suspeitas de reações adversas ao medicamento podem exigir interrupção temporária e/ou redução de dose. Converse com seu médico e siga a orientação deste profissional. Quando for necessária a redução da dose, recomenda-se reduzir para 40 mg por dia e, em seguida, para 20 mg por dia.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Este medicamento não deve ser partido ou mastigado.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o Cabometyx?


Se você se esquecer de tomar Cabometyx® e ainda houver 12 horas ou mais antes da sua próxima dose, tome a dose perdida assim que você se lembrar. E então tome a próxima dose no tempo normal.

No entanto, se a sua próxima dose de Cabometyx® for em período menor que 12 horas, não tome a dose que você perdeu. Tome somente sua próxima dose no tempo normal.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de tomar Cabometyx® se:

  • Tiver pressão arterial elevada;
  • Tiver diarreia;
  • Tiver um histórico recente de hemorragia significativa;
  • Foi submetido a uma cirurgia há menos de um mês, ou se estiverem planejados procedimentos cirúrgicos, incluindo cirurgia dentária;
  • Tiver doença intestinal inflamatória (por exemplo doença de Crohn ou colite ulcerosa, diverticulite ou apendicite);
  • Tiver um histórico recente de coágulo sanguíneo na perna, AVC ou ataque cardíaco;
  • Tiver doença hepática ou renal;
  • Tiver planos de engravidar ou amamentar.

Informe o seu médico se alguma destas condições se aplicar a você.É possível que necessite de tratamento para estas condições ou o seu médico pode optar por alterar a sua dose de Cabometyx® ou interromper completamente o tratamento.

Lactose

Cada comprimido de 20 mg, 40 mg e 60 mg de Cabometyx® contém, respectivamente, 15,54 mg, 31,07 mg e 46,61mg de lactose.

Mulheres em idade fértil / Contracepção em homens e mulheres

Mulheres em idade fértil devem evitar a gravidez durante o uso de Cabometyx®. Parceiras femininas de pacientes do sexo masculino que tomam Cabometyx® também devem evitar a gravidez. Os métodos de contracepção devem ser utilizados por pacientes do sexo masculino, feminino e parceiros durante a terapia e por pelo menos 4 meses após sua conclusão. Como os contraceptivos orais podem sofrer interação com esse medicamento, eles devem ser usados em conjunto com outro método, como um método de barreira (preservativo ou diafragma).

Fertilidade

Não há dados sobre fertilidade humana. Tanto os homens quanto as mulheres devem ser aconselhados e considerar a preservação da fertilidade antes do tratamento.

Efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas

Esse medicamento tem pouca influência sobre a capacidade de conduzir e usar máquinas. Reações adversas como fadiga e fraqueza foram associadas ao Cabometyx®. Portanto, deve ser recomendado cuidado ao dirigir ou operar máquinas.

Este medicamento contém lactose.

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar reações adversas, embora estas não se manifestem em todas as pessoas. Se tiver reações adversas, o seu médico pode lhe dizer para tomar doses mais baixas de Cabometyx®. O seu médico pode ainda receitar outros medicamentos para ajudar a controlar as suas reações adversas.

Informe o seu médico imediatamente se notar alguma das seguintes reações adversas, pois pode precisar de assistência médica urgente:

  • Sintomas como dor abdominal (barriga), náuseas (sensação de enjoo), vômitos, prisão de ventre ou febre. Estes podem ser sinais de perfuração gastrointestinal (um buraco que aparece no estômago ou no intestino e que pode ser potencialmente fatal);
  • Hemorragia grave ou não controlável com sintomas como: vomitar sangue, apresentar fezes escuras, sangue na urina, dores de cabeça, tosse com sangue;
  • Diarreia grave;
  • Inchaço, dores nas mãos e pés ou falta de ar;
  • Uma ferida que não cicatriza;
  • Ataques de dor de cabeça, confusão ou dificuldade em se concentrar. Estes podem ser sinais de uma condição chamada síndrome de leucoencefalopatia posterior reversível (SLPR). Vale notar que a SLPR é pouco frequente (afeta menos de 1 em 100 pessoas).

Os parâmetros de frequência das reações adversas para cada indicação são definidos como:

  • Reação muito comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento);
  • Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento);
  • Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento);
  • Reação rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento);
  • Reação muito rara (ocorre entre menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento).

Reações muito comuns

Anemia, hipotireoidismo (redução da atividade da glândula tireoide), redução dos níveis de sódio, potássio, cálcio, fósforo; aumento da glicose sanguínea (hiperglicemia), elevação dos níveis de magnésio, albumina no sangue; desidratação, diminuição do apetite, dor de cabeça, tonturas, alteração do paladar, aumento da pressão arterial (hipertensão), dispneia, enfraquecimento da voz, tosse, dor abdominal, desconforto digestivo, diarreia, estomatite, náusea, vômito, constipação, dor na boca, boca seca, síndrome mão-pé, dermatite acneiforme, erupção na pele (maculopapular), pele seca, perda de cabelo, mudança de cor do cabelo, dor nas articulações, dor nas extremidades, fadiga, aumento de enzimas do fígado (AST e ALT), aumento da fosfatase alcalina no sangue, diminuição da contagem de plaquetas, aumento da bilirrubina no sangue, diminuição da contagem de neutrófilos, diminuição da contagem de linfócitos, aumento da creatinina no sangue, diminuição de peso/massa corporal.

Reações comuns

Elevação nos níveis de potássio no sangue, redução da glicose sanguínea (hipoglicemia), zumbido, embolia pulmonar, pancreatite, dor na parte superior do abdominal, doença de refluxo gastresofágico, hemorroidas, coceira, aumento de proteínas na urina, edema, aumento das enzimas amilase e lipase no sangue, aumento do colesterol sanguíneo, complicação de ferida/cicatrização.

Reações incomuns

Convulsão, fistula anal, pancreatite, hepatite colestática (um tipo de doença do fígado em que a bile pode não fluir do fígado para o duodeno), osteonecrose (morte do tecido ósseo) da mandíbula.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu Sistema de Atendimento ao Consumidor (SAC).

Atenção: este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico ou cirurgião-dentista.

Cabometyx® 20 mg

Cada comprimido revestido contém 25,34 mg de levomalato de cabozantinibe equivalente a 20 mg de cabozantinibe.

Cabometyx® 40 mg

Cada comprimido revestido contém 50,69 mg de levomalato de cabozantinibe equivalente a 40 mg de cabozantinibe.

Cabometyx® 60 mg

Cada comprimido revestido contém 76,03 mg de levomalato de cabozantinibe equivalente a 60 mg de cabozantinibe.

Excipientes: celulose microcristalina, lactose, hiprolose, croscarmelose sódica, dióxido de silício, estearato de magnésio, água purificada, Opadry® yellow (hipromelose, dióxido de titânio, triacetina e óxido de ferro amarelo).

Apresentação do Cabometyx


Comprimidos revestidos nas concentrações de 20 mg, 40 mg e 60 mg

Embalagem com 30 comprimidos revestidos.

Uso oral.

Uso adulto.

Não existe um tratamento específico doses muito acima das recomendadas e seus possíveis sintomas não foram estabelecidos.

Em caso de suspeita doses muito acima das recomendadas, interrompa imediatamente o uso do Cabometyx® e procure assistência médica para que sejam instituídos cuidados de suporte adequados.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para08007226001, se você precisar de mais orientações.

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver tomando ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica. Isto porque o Cabometyx® pode afetar a forma como alguns medicamentos atuam. De igual modo, alguns medicamentos podem afetar a forma como Cabometyx® atua. Isto pode implicar que o seu médico tenha de alterar a(s) dose(s) que você toma.

Você deve indicar ao médico todos os medicamentos que toma, principalmente se estiver tomando

  • Medicamentos para tratar infecções por fungos – cetoconazol, itraconazol;
  • Medicamentos usados para tratar infecções bacterianas (antibióticos) – eritromicina, claritromicina e rifampicina;
  • Medicamentos antialérgicos – fexofenadina;
  • Medicamentos para tratar epilepsia ou convulsões – fenitoína, carbamazepina, fenobarbital;
  • Fitoterápicos contendo “erva de São João” (Hypericum perforatum);
  • Medicamentos anticoagulantes – varfarina;
  • Medicamentos anti-hipertensivos e cardiológicos – alisquireno, ambrisetana, etexilato de dabigartana, digoxina, talinolol, tolvaptana;
  • Medicamentos para diabetes – saxagliptina, sitagliptina;
  • Antigotoso – colchicina;
  • Antirretrovirais – efavirenz, ritonavir, indinavir, lopinavir / ritonavir, nelfinazir, saquinavir;
  • Ciclosporina.

Anticoncepcionais

Se tomar Cabometyx® enquanto usar anticoncepcionais orais, estes podem ser ineficazes. Deve também ser usado um método contraceptivo de barreira (por exemplo, preservativo ou diafragma) enquanto estiver tomando Cabometyx® e durante pelo menos 4 meses após ter acabado o tratamento.

Alimentos

Você não deve tomar Cabometyx® com alimentos. Você não deve comer nenhum alimento nas duas horas antes de tomar Cabometyx®, nem durante uma hora após a sua ingestão. O consumo de toranja (grapefruit) ou de produtos que a contenha deve ser evitado enquanto estiver usando este medicamento (eles podem aumentar os níveis de Cabometyx® no seu sangue).

Informe ao seu médico se você estiver fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Resultados de Eficácia


No carcinoma de células renais após terapia prévia direcionada com fator de crescimento endotelial vascular (VEGF)

Os resultados do estudo Metor1,2, de fase 3, randomizado, aberto, multicêntrico indicaram uma melhora significante na sobrevida global (SG) dos pacientes com CCR (N=330) tratados com Levomalato de Cabozantine (substância ativa) em comparação com os tratados com everolimo (N=328) após terapia prévia direcionada com fator de crescimento vascular endotelial (VEGF) (Tabela 1 e Figura 1). A sobrevida livre de progressão (SLP) foi avaliada por um comitê de revisão de radiologia independente em caráter cego. Os desfechos secundários de eficácia foram taxa de resposta objetiva (TRO) e sobrevida global (SG). As avaliações do tumor foram realizadas a cada 8 semanas durante os primeiros 12 meses, depois disso a cada 12 semanas. As características basais demográficas e da doença foram semelhantes entre os grupos de tratamento. A duração mediana do tratamento foi de 7,6 meses (intervalo 0,3 – 20,5) para pacientes tratados com Levomalato de Cabozantine (substância ativa) e de 4,4 meses (intervalo 0,21 – 18,9) para pacientes tratados com everolimo. As durações medianas do acompanhamento para sobrevida global e segurança foram 18,7 meses (16,1 – 21,1) e 18,8 meses (16,0 – 21,1), respectivamente.

As taxas de resposta objetiva foram de 17% com cabozantinibe versus 3% com everolimo (P <0,0001). A sobrevida global mediana foi de 21,4 meses no grupo cabozantinibe vs 16,5 meses no grupo everolimo (Taxa de Risco (HR) = 0,66, P = 0,00026). A sobrevida livre de progressão mediana foi de 7,4 meses com cabozantinibe vs 3,9 meses com everolimo (HR = 0,51, P <0,0001). Tratamento sistêmico contra o câncer foi utilizado em 50% do grupo cabozantinibe e em 55% do grupo everolimo após a descontinuação do tratamento em estudo. Uma análise interina planejada mostrou que a sobrevida global foi mais longa com cabozantinibe do que com everolimo (taxa de risco para morte, 0,67; IC 95%, 0,51 a 0,89; P = 0,005), mas não ultrapassou o limite de significância para a análise interina.

Os resultados da taxa de resposta objetiva estão resumidos na Tabela 2.

Tabela 1: Resumo dos resultados da Sobrevida Livre de Progressão de acordo com o comitê de revisão de radiologia independente

1 teste estratificado log-rank.
SLP = Sobrevida livre de progressão.
TR = Taxa de Risco.
IC = Intervalo de Confiança.

Figura 1: Curva de Kaplan Meier para a sobrevida sem progressão da doença de acordo com o comitê de revisão de radiologia independente (primeiros 375 pacientes randomizados)

Tabela 2: Resumo dos achados de Taxa de Resposta Objetiva (TRO) de acordo com o comitê de revisão de radiologia independente (CRI) e a revisão do investigador

Figura 2: curva Kaplan-Meier de sobrevida global em pacientes com CCR

Bibliografia:

1.Choueiri TK, et al; Meteor Investigators. Cabozantinib versus Everolimus in Advanced Renal-Cell Carcinoma. N Engl J Med 2015;373(19):1814-23.
2.Choueiri TK, et al; Meteor Investigators. Cabozantinib versus everolimus in advanced renal cell carcinoma (Meteor): final results from a randomised, open-label, phase 3 trial. Lancet Oncol 17:917-27, 2016.

No carcinoma de células renais não tratado previamente

A segurança e a eficácia do Levomalato de Cabozantine (substância ativa) para o tratamento do carcinoma de células renais não tratado previamente também foram avaliadas em um estudo randomizado, aberto, multicêntrico, comparativo com sunitinibe – estudo Cabosun3 . Os pacientes (N=157) com CCR metastático ou localmente avançado não tratado previamente com um componente celular evidente foram randomizados (1:1) para receber Levomalato de Cabozantine (substância ativa) (N=79; 60 mg uma vez ao dia) ou sunitinibe (N=78; 50 mg uma vez ao dia; 4 semanas com tratamento, 2 semanas sem). Os pacientes tinham que apresentar uma doença de risco intermediário ou baixo de acordo com os critérios do International Metastatic RCC Database Consortium (IMDC). Os pacientes foram estratificados por grupo de risco do IMDC e presença de metástases ósseas (sim/não). Aproximadamente 75% dos pacientes foram submetidos a nefrectomia antes do início do tratamento. O desfecho primário foi a sobrevida livre de progressão (SLP). Os desfechos secundários de eficácia foram taxa de resposta objetiva (TRO) e sobrevida global (SG). As avaliações do tumor foram realizadas a cada 12 semanas. As características basais demográficas e da doença foram semelhantes entre os grupos de Levomalato de Cabozantine (substância ativa) e sunitinibe. A maioria dos pacientes era do sexo masculino (78%) com idade mediana de 62 anos

Uma melhora estatisticamente significante na SLP, avaliada retrospectivamente por um Comitê de Radiologia Independente (CRI) em caráter cego, foi demonstrada para o Levomalato de Cabozantine (substância ativa) em comparação com o sunitinibe (Figura 3 e Tabela 3). Os resultados da análise da SLP determinada pelo investigador e da análise determinada pelo CRI foram consistentes (Tabela 3). A SLP mediana (sobrevida livre de progressão) aumentou significantemente com cabozantinibe em comparação com sunitinibe (8,2 vs 5,6 meses) e foi associada com uma redução de 34% na taxa de progressão ou morte (taxa de risco ajustada, 0,66; IC 95%, 0,46 a 0,95; P unilateral = 0,012). A taxa de resposta objetiva (TRO) foi de 46% (IC 95%, 34 a 57) para Levomalato de Cabozantine (substância ativa) e de 18% (IC 95%, 10 a 28) para sunitinibe.

Tabela 3: Resultados de eficácia no RCC não tratado previamente (população ITT, CABOSUN)

Levomalato de Cabozantine (substância ativa) (N=79)Sunitinibe (N=78)
Sobrevida livre de progressão (SLP) pelo CRI a
SLP mediana em meses (IC 95%)8,6 (6,2, 14,0)5,3 (3,0, 8,2)
TR (IC 95%); estratificado b,c0,48 (0,32, 0,73)
Valor de p da classificação logarítmica bilateral: estratificado bp=0,0005
Sobrevida livre de progressão (SLP) por investigador
SLP mediana em meses (IC 95%)8,3 (6,5, 12,4)5,4 (3,4, 8,2)
TR (IC 95%); estratificado b,c0,74 (0,47, 1,14)
Valor de p da classificação logarítmica bilateral: estratificado bp=0,0042
Sobrevida Global (SG)
SG mediana em meses (IC 95%)30,3 (14,6, NE)21,0 (16,3, 27,0)
TR (IC 95%); estratificado b,c0,74 (0,47, 1,14)
Taxa de resposta objetiva (TRO) n (%) pelo CRI
Respostas completas00
Respostas parciais16 (20)7 (9)
TRO (apenas respostas parciais)16 (20)7 (9)
Doença estável43 (54)30 (38)
Doença progressiva14 (18)23 (29)
Taxa de resposta objetiva (TRO) n (%) pelo investigador
Respostas completas1 (1)0
Respostas parciais25 (32)9 (12)
TRO (apenas respostas parciais)26 (33)9 (12)
Doença estável34 (43)29 (37)
Doença progressiva14 (18)19 (24)

a de acordo com recomendações da UE.
b Fatores de estratificação de acordo com o IxRS compreendem categorias de risco do IMDC [risco intermediário, risco ruim e metástase óssea (sim, não)].
Estimado usando o modelo de risco proporcional de Cox ajustado para fatores de estratificação de acordo com IxRS. Proporção de risco < 1 indica sobrevida livre de progressão em favor do cabozantinibe.

Figura 3: Curva de Kaplan Meier para a sobrevida livre de progressão pelo CRI em sujeitos com CCR não tratado previamente

Bibliografia:

3. Choueiri TK, et al. Cabozantinib Versus Sunitinib As Initial Targeted Therapy for Patients With Metastatic Renal Cell Carcinoma of Poor or Intermediate Risk: The Alliance A031203 Cabosun Trial. J Clin Oncol 2017;35(6):591-7.

Características Farmacológicas


Mecanismo de ação

O cabozantinibe é uma molécula pequena que inibe múltiplos receptores de tirosina-quinases (RTKs) que atuam no crescimento tumoral e na angiogênese, remodelação óssea patológica, resistência a medicamentos e progressão metastática do câncer. O cabozantinibe foi avaliado pela sua atividade inibidora contra uma variedade de quinases e foi identificado como um inibidor dos receptores MET (proteína receptora do fator de crescimento de hepatócitos) e VEGF (fator de crescimento endotelial vascular). Além disso, o cabozantinibe inibe outras tirosina-quinases, incluindo o receptor GAS6 (AXL), RET, ROS1, TYRO3, MER, o receptor do fator de células-tronco (KIT), TRKB, tirosinaquinase 3 semelhante a Fms (FLT3) e TIE-2.

Efeitos farmacodinâmicos

Levomalato de Cabozantine (substância ativa) demonstrou inibição do crescimento tumoral relacionada à dose, regressão tumoral e/ou metástase inibida em uma vasta gama de modelos pré-clínicos de tumores.

Eletrofisiologia cardíaca

Observou-se um aumento em relação à avaliação inicial no intervalo QT corrigido pela Friderícia (QTcF) de 10-15 ms no Dia 29 (mas não no Dia 1) após o início do tratamento com Levomalato de Cabozantine (substância ativa) (em uma dose de 140 mg 1x/dia) em um estudo clínico controlado em pacientes com câncer de tireoide medular. Este efeito não foi associado a uma mudança na morfologia da forma da onda cardíaca ou novos ritmos. Nenhum sujeito tratado com Levomalato de Cabozantine (substância ativa) neste estudo e nem sujeitos tratados com Levomalato de Cabozantine (substância ativa) nos estudos de CCR (na dose de 60 mg) apresentaram um QTcF confirmado > 500 ms.

Propriedades farmacocinéticas

Absorção

Após a administração oral de Levomalato de Cabozantine (substância ativa), as concentrações plasmáticas máximas são atingidas de 3 a 4 horas pós-dose. Os perfis de tempo de concentração plasmática mostram um segundo pico de absorção aproximadamente 24 horas após a administração, o que sugere que Levomalato de Cabozantine (substância ativa) pode sofrer recirculação êntero-hepática.

A repetição diária de Levomalato de Cabozantine (substância ativa) na dose de 140 mg durante 19 dias resultou em um acúmulo médio de cabozantinibe de aproximadamente 4 a 5 vezes (com base na ASC) em comparação com uma administração de dose única; o estado estacionário (steady state) é alcançado aproximadamente no décimo quinto dia.

Uma refeição rica em gorduras aumentou moderadamente os valores de Cmax e ASC (41% e 57%, respectivamente) em relação às condições de jejum em voluntários sadios aos quais foi administrada uma dose única de 140 mg de Levomalato de Cabozantine (substância ativa) por via oral. Não há informação sobre o efeito preciso do alimento quando tomado 1 hora após a administração de Levomalato de Cabozantine (substância ativa).

Distribuição

Cabozantinibe é altamente ligado a proteínas plasmáticas in vitro (≥99,7%). Com base no modelo farmacocinético populacional (PK), o volume de distribuição (Vz) é de aproximadamente 319 L (EP: ± 2,7%). A ligação às proteínas não foi alterada em indivíduos com função renal ou hepática levemente ou moderadamente comprometidas.

Biotransformação

O cabozantinibe foi metabolizado in vivo. Quatro metabólitos estavam presentes no plasma em exposições (ASC) superiores a 10% do original: óxido N XL184, produto de clivagem de amida XL184, sulfato de mono-hidróxi-XL184 e sulfato do produto de clivagem 6-desmetilamida. Dois metabólitos não conjugados (óxido N XL184 e produto de clivagem da amina XL184), que possuem menos de 1% da potência de inibição da quinase alvo do cabozantinibe original, representam cada um menos de10% da exposição plasmática total relacionada ao medicamento.

O cabozantinibe é um substrato para o metabolismo do CYP3A4 in vitro, uma vez que o anticorpo neutralizante do CYP3A4 inibiu a formação do metabolito óxido N XL184 em >80% em uma incubação microssômica do fígado humano (HLM) catalisada por NADPH; em contraste, os anticorpos neutralizantes para CYP1A2, CYP2A6, CYP2B6, CYP2C8, CYP2C19, CYP2D6 e CYP2E1 não tiveram efeito sobre a formação de metabólito do cabozantinibe. Um anticorpo neutralizante para CYP2C9 mostrou um efeito mínimo sobre a formação do metabólito do cabozantinibe (ou seja, uma redução menor que 20%).

Eliminação

Em uma análise farmacocinética populacional d0 Levomalato de Cabozantine (substância ativa) utilizando dados coletados de 318 pacientes com CCR e 63 voluntários sadios normais após administração oral de doses de 60 mg, 40 mg e 20 mg, a meia-vida plasmática terminal de cabozantinibe foi de aproximadamente 99 horas. A depuração média (CL/F) no estado estacionário (steady state) foi estimada em 2,2 L/h. Dentro de um período de coleta de 48 dias após uma dose única de 14C-cabozantinibe em voluntários sadios, aproximadamente 81% da radioatividade total administrada foi recuperada, com 54% nas fezes e 27% na urina.

Farmacocinética em populações de pacientes especiais

Insuficiência renal

Os resultados de um estudo em pacientes com insuficiência renal indicam que as razões da média geométrica dos LS para cabozantinibe plasmático, Cmax e ASC0-inf foram 19% e 30% superiores para sujeitos com insuficiência renal leve (IC 90% para Cmax 91,60% a 155,51%; ASC0-inf 98,79% a 171,26%) e 2% e 6-7% superiores (IC 90% para Cmax 78,64% a 133,52%; ASC0-inf 79,61% a 140,11%) para sujeitos com insuficiência renal moderada em comparação com sujeitos com função renal normal. Os pacientes com insuficiência renal grave não foram estudados.

Insuficiência hepática

Os resultados de um estudo em pacientes com insuficiência hepática indicam que a exposição (ASC0-inf) aumentou 81% e 63% em sujeitos com insuficiência hepática leve e moderada respectivamente (IC 90% para ASC0-inf: 121,44% a 270,34% para leve e 107,37% a 246,67% para moderada). Os pacientes com insuficiência hepática grave não foram estudados.

Raça

Uma análise farmacocinética populacional não identificou diferenças clinicamente relevantes na farmacocinética de cabozantinibe com base na raça.

Fonte: Bula do Profissional do Medicamento Cabometyx.

Cabometyx® deve ser mantido à temperatura ambiente (15ºC a 30ºC).

Cabometyx® tem validade de 24 meses a partir da data de sua fabricação.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Características do medicamento

Cabometyx® 20 mg

É um comprimido revestido, redondo, amarelo, sem sulco e gravado com “XL” em um dos lados e “20” no outro lado do comprimido.

Cabometyx® 40 mg

É um comprimido revestido, redondo, amarelo, sem sulco e gravado com “XL” em um dos lados e “40” no outro lado do comprimido.

Cabometyx® 60mg

É um comprimido revestido, redondo, amarelo, sem sulco e gravado com “XL” em um dos lados e “60” no outro lado do comprimido.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso você observe alguma mudança no aspecto do medicamento que ainda esteja dentro do prazo de validade, consulte o médico ou o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

MS –169770004

Responsável Técnico:
Heloisa F. Costa Zeringota
CRF-SP nº 10.078

Fabricado por:
Patheon Inc. 2100 Syntex Court
Mississauga, ON Canada L5N 7K9

Importado:
Beaufour Ipsen Farmacêutica Ltda.
Av. Eng. Luiz Carlos Berrini, 1297 – Cj.62,
São Paulo – SP
CNPJ 07.718.721/0001-80

Nº lote, data de fabricação e validade: vide embalagem externa.

Venda sob prescrição médica.


Informações Profissionais
Fabricante: Ipsen
Necessita de Receita: Branca Comum (Venda Sob Prescrição Médica)
Princípio Ativo: Levomalato De Cabozantine
Categoria do Medicamento: Câncer
Classe Terapêutica: Inibidores Preoteína Kinase Antineoplásicos, Outros
Especialidades: Oncologia